Algumas pessoas irão embora e você não precisa se sentir culpado por isso.


Você vai perder pessoas importantes ao longo da sua vida e não haverá nada que você possa fazer pra evitar isso. Algumas pessoas vão fugir de você por medo de se envolver, e por muitas vezes esse será o seu medo também. Talvez, em algum momento alguém vai te fazer acreditar que vai dar certo, vai te tirar esse receio e quando você mergulhar de corpo e alma, esse alguém vai sumir da sua vida como se nunca tivesse entrado.

Algumas pessoas, que um dia, você acreditou que eram importantes pra você, por algum motivo se transformaram em apenas mais um contato na agenda do seu celular, mais um perfil perdido em meio a lista de amigos nas suas redes sociais. Acontece, algumas vezes é o ciclo natural da vida, sabe? 

Em algum momento você vai afastar alguém de você, pelas suas atitudes ou simplesmente pela falta delas. Alguém vai fazer com que você se distancie também. Tudo o que você procura é alguém que te tire um sorriso sincero, que te faça se sentir leve e livre, mas por algum motivo você vai cometer o erro de insistir em ficar em alguém que não te deseja, até que você perceba que a sua liberdade às vezes depende da sua partida de alguém. 

O tempo vai passar e você vai mudar um pouco, de tamanho, de gostos, de sonhos, isso vai fazer com que você entenda que a sua grandeza precisa de espaços maiores, pessoas pequenas demais não terão mais espaços na sua vida, ficarão pra trás. Às vezes você nem vai perceber isso, porque algumas coisas perdem o sentido e não precisa haver explicação. Algumas pessoas vão embora e você não precisa se sentir culpado por isso.

Talvez aquela pessoa que olhou bem nos teus olhos e te jurou amor eterno, um dia escorra pela sua mão e você não consiga segurá-la. Talvez alguém entre na tua vida e te apresente sensações que você nunca tinha sentido antes, ou fazia tanto tempo que não sentia, ou fugiu tantas vezes pra não sentir, e quando tudo dentro de você parecer florescer, como um jardim que esperou tanto tempo por um bom jardineiro, essa pessoa vai fugir de você. Custará entender que, às vezes, algumas pessoas entram na vida da gente só pra ensinar alguma coisa, porque no final das contas é a gente que deve cuidar do nosso próprio jardim. 



Tenho acreditado que, o melhor pra mim, é deixar que a vida me conduza, aceitar que as relações não dependem só de mim e por esse motivo, eu não preciso me culpar. O peso de todas as partidas tem sido mais leve sobre os meus ombros.

Por muito tempo eu não soube lidar com os fins, a ideia de que hoje alguém está na sua vida e amanhã pode não estar mais, não me descia a garganta. E esse sempre foi o grande problema, não aceitar o fim e insistir nas coisas mesmo sozinho. Aceitar que os finais acontecem, não quer dizer que não me doa mais. Dói pra caramba às vezes, mas eu acredito fielmente que a vida me guarda coisas melhores lá na frente. Se guarda ou não, não tenho tanta certeza assim, mas acreditar nisso me fez lidar melhor com as perdas e reconhecer o conforto do meu interior.

Série: Ok, também te amo. Capítulo 5: Depois da balada.


Vi o Rodrigo sumindo da minha vista no meio daquela balada. Senti como se as minhas pernas perdessem o equilíbrio e não conseguissem mais sustentar o peso do meu corpo. Naquele momento o meu coração era a parte que mais pesava em mim. Não sabia se chorava ou se sorria. Se corria atrás dele ou se, mesmo querendo tanto que ele voltasse pra mim, ignorava a sua presença e continuava seguindo o meu caminho. Afinal, foi por esse motivo que eu escolhi acabar, foi pra seguir sozinha e me reencontrar. Se o peso que tivesse que pagar fosse esse desequilíbrio emocional que eu senti ao vê-lo, e aquela saudade que de vez em quando doía, tudo bem, que doesse tudo o que tinha pra doer. Uma hora iria passar.  

Tomei mais algumas doses, dancei, cantei uma música em alto e bom som, como se não houvesse amanhã, sabe? Dizem que quando a gente se diverte como se não houvesse amanhã, por um momento a gente se esquece de algumas dores. O que não me disseram é que, às vezes depois da ressaca essa dor pode aumentar gradativamente. 

Eu já não enxergava mais as pessoas. Lembro que andei até o balcão, tropecei no barman e pedi mais uma cerveja. E foi nesse momento que a porra de um sentimento confuso começou. Não deveria, mas começou.

Cê ainda aguenta beber mais? Perguntou ele.
Só quero beber. Respondi.
Foi o último copo que tomei, acordei em casa com uma ressaca moral daquelas e perguntando pras amigas sobre o tamanho da vergonha que passei. Mais tarde, alguém me ligou. Era um número desconhecido e quando atendi, ele se apresentou:

É o Márcio. O barman de ontem à noite que te levou até o táxi. Dei o meu número ao motorista caso ele precisasse ligar com urgência. Você me passou o seu número depois que conversamos sobre signos e mapa astral, lembra? (risos) Sua amiga cuidou de passar o endereço pro motorista. Mas e então, cê chegou bem?



- Hahaha, cheguei sim. Mas como assim conversamos sobre signos? 

- Foi a primeira coisa que você me perguntou depois que elogiei o seus olhos. Disse que sou taurino e então você me respondeu dizendo que  taurinos são intensos. Te disse com um sorriso de canto meio que lamentando: Ser intenso às vezes dói. Cê até concordou, começou a falar sobre um bundão que te decepcionou pra caramba. Você não poupou xingamentos pra ele. E desculpas, mas eu só conseguia rir. Além de linda, você é engraçada.

- haha [silêncio] 

A conversa foi longa. Nunca imaginei que teríamos tanto assunto pra conversar. Falamos de musica, séries, diretores de filmes, manias e vícios, programas de tv, signos, comidas, livros, ex-sogra chata, relacionamentos, sentimentos, responsabilidade afetiva e até da morte do Kurt Cobain. Quando percebi, estávamos marcando um cinema pro outro dia. 

E o Rodrigo? Bem, o Rodrigo não interessa.

Continua... o próximo capitulo sairá no dia 24 de Agosto.

Você não precisa se cobrar tanto.


Olha só, talvez você já tenha passado por uma dessas crises que te tira o sono e te faz acreditar no quão inútil você é, e te faz pensar no quanto de coisa que você já deveria ter feito, nos sonhos que já deveria ter realizado e até o momento, ainda não conseguiu realizar. Talvez pensar nisso te faça acreditar que você não vai mesmo conseguir o que planeja, mas eu preciso te dizer que é necessário respeitar o nosso tempo, 
ter paciência consigo mesmo e não se cobrar tanto assim. Você é incrível, acredite!

Você não é obrigado a entrar numa universidade ou falar outra língua antes dos 19. Você não é obrigado a aprender a dirigir aos 18, muito menos ter um carro antes dos 30 ou fazer aquela viagem dos sonhos antes dos 40. Você não é obrigado a se casar, ter filhos e construir uma família depois dos 30. Pra ser sincero, você não precisa se casar ou ter filhos se não quiser, se preferir pode morar sozinho e adotar uns gatos, no tempo que você achar melhor.


Você não é obrigado a estudar pra passar em algum concurso antes dos 30, trabalhar em lugares que não te fazem bem só pra ter um dinheiro no final do mês, ou encontrar o amor da sua vida antes dos 40 por medo de ficar sozinho, você não precisa encontrar alguém pra se sentir melhor, você não precisa perder o seu tempo fazendo coisas que não te faz se sentir realizado. 

Não tem problema se o seu primo aprendeu a falar inglês, francês e alemão antes dos 20, se o seu vizinho mora sozinho desde os 19, se o seu amigo conseguiu comprar um carro aos 22, ou se a outra pessoa conheceu Paris bem antes dos 25. 

Você só precisa seguir o seu caminho com força e fé, porque uma hora, no tempo certo, as coisas vão acontecendo da maneira que precisam acontecer. 

Fui embora, mas não foi por falta de amor.

Eu não tive outra escolha, e você sabe bem disso não é? Eu não podia mais ficar esperando que em algum momento você me dissesse o quanto queria que eu ficasse. Eu não podia mais ficar perdendo o meu tempo tentando decifrar todos os seus segredos, tentando ler os seus códigos e todas as coisas que você deixou subentendidas na maneira que você escrevia e falava. Eu queria que as coisas fossem mais claras, sabe? 

Queria que você fosse direto ao ponto como eu sempre fui contigo, que você se abrisse pra mim como abri a minha vida pra você e não tive medo nem quando percebi que você poderia ir embora a qualquer momento. Queria que você dissesse o que estava sentindo e não ficasse o tempo todo tentando esconder os seus sentimentos por medo do que eu pudesse fazer com eles. Queria que você olhasse em meus olhos, e antes que o nosso amor acabasse, dissesse o quanto ainda estava apaixonado por mim, o quanto queria ficar comigo. Talvez alguma coisa mudasse. Mas você não disse e eu cansei de tentar descobrir tudo isso. Às vezes a gente perde oportunidades incríveis por medo de sentir, fazer ou simplesmente falar o que sente. Acho que esse foi o motivo da gente ter se perdido. 

Você sempre esperava que eu agisse primeiro. Você dizia que estava com saudades, mas não mexia um dedo sequer pra gente se ver. Eu permiti que você entrasse na minha vida, conhecesse os meus defeitos e os meus sonhos, e o que você fez? Entrou, vasculhou tudo, trocou tudo de lugar, bagunçou pra caralho aqui dentro e quando resolveu acabar, se afastou sem nem dizer: ''foi bom te conhecer, mas eu tô indo agora''. E aquele gosto amargo de uma despedida que nem aconteceu ficou na garganta. Aquela mágoa por eu ter me entregue pra você e você sequer ter agradecido por ter sido bom. Aquela dor que deixa o peito da gente meio frio, sabe? Por tudo não ter tido um fim de fato, porque cara, eu achava que você seria mais maduro, achava que nós tínhamos liberdade o suficiente pra uma despedida decente.

Você quer estar com alguém, mas tem aquela leve sensação de que a qualquer momento a pessoa vai cair fora. Você fica com alguém, começa a se apaixonar, pensa em sair fora várias vezes, mas a pessoa faz com que você fique cada vez mais. E então você fica por pensar que o outro vai cuidar bem de você, que o outro vai te entender e respeitar os seus conflitos sobre estar se apaixonando mas não querer se apaixonar, mas no final das contas, a outra pessoa é a primeira a sair e te deixar sozinho. Você quer permanecer ali porque de alguma maneira aquilo te faz se sentir vivo, faz com que aquela chama que por tanto tempo esteve apagada continue acesa no teu peito, e você acredita que vai ser bom, porque a paixão não pode ser ruim, não é? Engano seu, quando a gente se apaixona por alguém e esse alguém se afasta de nós de repente, quando esse alguém não responde mais as nossas mensagens e some da vida da gente sem sequer dizer que a nossa estadia fez alguma diferença, tudo dói, tudo parece tão inútil. Fica aquela sensação de tempo perdido, sabe? 



Não sou aquele tipo de gente que simplesmente some da vida do outro sem sequer dizer o quanto o outro foi importante pra mim. Mesmo que eu não concorde com o fim, mesmo que acabar algo me cause um certo desconforto, mesmo que eu seja a pessoa que ponhe um ponto final em uma relação, eu preciso dizer o quando aquela pessoa me fez bem. E foi por isso que eu abri a sua janela e escrevi aquela mensagem, foi pra te dizer que apesar de tudo você foi importante pra mim, que depois de tanto tempo desacreditando no amor eu comecei a sentir um resquício dele vivo dentro de mim quando te conheci e por mais que você não tenha ficado, eu precisava te dizer ao menos um: ''melhor a gente acabar, mas obrigado por tudo''.

E amor é isso, é também aceitar quando não dá mais, e a gente não deu. 

Série: Ok, também te amo. Capitulo 4: Segue o baile.

Já se passaram quase duas semanas e ele não me ligou, não apareceu por aqui e a gente sequer conversou pra tentar resolver as coisas, pra amenizar um pouco toda a confusão e quem sabe, seguir sem tanto rancor, sabe? Eu sei que não devia, mas não consegui resistir a saudade e fui no perfil dele. 

Meus amigos sempre dizem: quem procura, acha. 

E eu achei. Me deparei com uma foto do Rodrigo numa festa com alguns amigos, aparentemente feliz e abraçado com uma menina que eu nunca tinha visto na vida. Senti uma leve pontada no peito, mas continuei. Fui ler os comentários e lá estavam, os dois, trocando mensagens. Lá estava o Rodrigo usando as mesmas palavras que ele usava comigo pra tentar me convencer de que ele realmente me amava, falando da mesma maneira que fala comigo com outra pessoa. Doeu pra caralho. Em menos de duas semanas você ver que alguém que você amou pra caramba e que dizia te amar, amando um outra pessoa, assim tão rápido. Chorei pra caramba, mas depois só consegui ter pena da menina, porque possivelmente ela também estaria sendo enganada por ele.

Eu tinha que superar, precisava seguir em frente. Eu sabia que não iria ser fácil esquecer alguém que você ama, nunca é. Mas quando você ama alguém, você precisa colocar as coisas na balança também, ser sincera consigo mesma e tentar entender se realmente vale a pena tentar outra vez, insistir em algo assim. Eu coloquei as coisas na balança, e esse amor tinha se tornado um peso pra mim, sabe? Deveria ser leve, deveria fazer bem, deveria ser o motivo pelos meus sorrisos e não a razão das minhas lágrimas.


Era uma sexta-feira e o relógio marcava 22h, quando decidi parar de lamentar as coisas e finalmente sair de casa, dar um passo a frente e ir até um bar que costumávamos ir em alguns finais de semana. Eu precisava beber, precisava encontrar alguns amigos, conversar sobre o nosso fim e sei lá, quem sabe rir um pouco de tudo isso, quem sabe encontrar um motivo pra achar graça no meio de toda a falta que eu ainda sentia dele. 

Quando pensei que já tinha superado. Ouço aquela voz no fundo da pista de dança. O som alto, pessoas esbarrando uma nas outras, pensei que era coisa da minha cabeça ter ouvido alguém chamar por mim. Foi quando alguém me tocou me perguntando: 

Fazendo o quê por aqui? A voz era do Rodrigo. Me virei e pude confirmar que era mesmo o bundão. Confesso que ter visto ele mexeu um pouco comigo, minhas pernas perderam o equilíbrio, o coração acelerou, o estômago marcou uns dois graus negativos. Mas não desmoronei. 


Vim viver, sorrir, conversar, sair um pou...
Ele me interrompeu: - Isso é bom. 

O assunto acabou aí. Tínhamos muito pra falar um ao outro, mas não falamos. Não sei se isso foi bom ou se foi péssimo. Às vezes a gente tem tantas coisas pra falar pra alguém e acabamos perdendo a oportunidade de dizer tudo que queríamos por puro orgulho, mas por outro lado, às vezes é melhor se calar e fingir demência que tentar desabafar com alguém e ver esse alguém virar as costas e ignorar os seus sentimentos. Pensei: Foda-se, ele não precisa saber que sinto falta dele. Segue o baile.


Continua... o próximo capitulo sairá no dia 17 de Agosto.