Às vezes é só uma questão de sorte e timming pra encontrar alguém bacana.


Esses dias parei pra pensar: ''se existe tanta gente bacana por aí, porque as ultimas pessoas com que me relacionei só foram babacas, sacanas, covardes com os seus próprios sentimentos e de alguma maneira, mentirosas?''. Percebi que encontrar alguém bacana hoje em dia é tão difícil quanto ganhar na loteria. E às vezes, quando a gente encontra é mais difícil ainda manter essa pessoa com a gente. Ou a gente estraga tudo com as nossas expectativas ou o outro, simplesmente, perde a vontade de ficar. Assim mesmo, do nada, sem motivos.

Depois de um longo relacionamento, me vi trancando todas as portas e janelas pra novas pessoas. Me vi trocando as fechaduras, colocando cadeados e fugindo de qualquer possibilidade de me relacionar de novo. Nesse período, pessoas aparentemente legais chegaram até mim mas não tiveram espaço algum, pessoas bacanas tentaram me conhecer, procuraram por alguma brecha pra ficar na minha vida e eu simplesmente, não conseguia abrir espaço pra essas pessoas. Eu não conseguia me envolver, não conseguia me encaixar em ninguém, sabe?  

Até que resolvi instalar um desses aplicativos de pegação que as pessoas se exibem como um produto e adicionam ou descartam umas as outras com um só clique. Comecei a conhecer novas pessoas e quanto mais eu conhecia mais me batia medo de continuar disposto a conhecer. No final, conheci mais pessoas idiotas que legais, outras não tive nem a oportunidade de conhecer porque sumiram antes disso. Mas acredito fielmente que, no meio de toda essa gente em aplicativos, exista um ser decente.


Comecei a pensar: Será que pessoas legais se apaixonam por pessoas escrotas e não por outras pessoas legais. Daí pessoas legais se machucam e tornam-se escrotas também?
Quase me tornei uma dessas pessoas escrotas. Até que no meio do caminho acabei conhecendo uma pessoa foda. Uma dessas pessoas que você se sente confortável pra contar sobre a sua vida, sabe? Daquele tipo que você passa a madrugada conversando sobre discos, séries, livros ou qualquer outro assunto aleatório. Do tipo que você não tem medo de escancarar os seus defeitos e os seus conflitos, que te faz se sentir bem, que é uma boa companhia pra ouvir o disco inteiro do Chico Buarque, comer uma pizza, transar durante a madrugada, assistir um filme e dormir antes do fim. Aquela pessoa que aparece pra puxar assunto, que elogia, que se preocupa. Mas que no final das contas, não é por ela que você se apaixona, não é ela quem te faz ter motivos pra ficar, não é ela quem acelera o teu coração e te faz perder o equilíbrio das pernas. É uma pessoa foda, mas não é aquela pessoa que te faz sentir uma vibração, que te faz perder a direção e a noção do tempo. É só mais uma pessoa certa que apareceu na tua vida no momento errado.

Às vezes a gente gosta de alguém e esse alguém bagunça a gente todo. Depois quando chega alguém legal, maravilhoso, você já têm se trancado por medo. Penso que a gente gosta mesmo é do perigo, de quem tira a gente dos trilhos, de quem vira a vida da gente de cabeça pra baixo, de quem tira o sono e faz o coração da gente de gato e sapato. É por aquela pessoa que de vez em quando some sem dar satisfação que a gente se apaixona. É por quem arranca a direção da gente e pisa no acelerador que a gente se interessa.

Às vezes é só uma questão de sorte e timming pra encontrar alguém bacana e esse alguém te encontrar como se você fosse a pessoa que ele sempre esteve procurando. É muito louco isso. Tanta gente bacana por aí e você vai querer ficar logo com uma que vai te enlouquecer.

Ninguém é obrigado a gostar da gente. E tá tudo bem.


A gente tem uma muita dificuldade em lidar com a rejeição, né? Só de imaginar em ser rejeitado o ego se revida dentro da gente. Mas o que não entendemos é que ninguém é obrigado a gostar da gente, ninguém tem a obrigação de querer estar ao nosso lado se não quiser, ninguém deve ficar com a gente se a vontade for de ir embora. As pessoas tem zero obrigação de gostar da gente porque ninguém é obrigado a querer ninguém e tá tudo bem. 

Quem já ouviu um ''eu não gosto mais de você'' sabe que não é a frase mais agradável do mundo. Ouvir alguém que você ama pra caralho dizer na tua cara que não gosta mais de você dói e não dói pouco. A gente tenta encontrar respostas pra justificar o porque que o outro não quer mais ficar. A gente tenta convencer o outro que ele só pode estar errado, que a gente pode tentar mais uma vez e quem sabe, aprender a fazer o outro gostar da gente. Mas as coisas não funcionam assim. O coração nunca obedece nossas ordens, o destino é traiçoeiro e as pessoas são imprevisíveis demais quando o assunto é sentimento. 

Quando a gente começa a se apaixonar e entender que definitivamente estamos envolvidos, a gente inevitavelmente começa a pensar que o outro tem a obrigação de sentir exatamente o que estamos sentindo. Mas a gente não tem como definir o momento em que o outro vai começar a gostar da gente ou o dia em que ele vai decidir ir embora. As coisas simplesmente acontecem quando têm que acontecer. Às vezes o outro não consegue gostar da gente e o que resta a se fazer, é deixá-lo ir embora, aceitar a despedida e aprender a lidar com isso. 

Alguém já me disse um ''eu te acho foda, mas não gosto mais de você.'' e eu simplesmente não tive respostas. Eu não podia pedir pra ele voltar gostar de mim de novo. Não podia implorar pra que ele não deixasse de gostar, porque isso não se pede. Ele gostou, não gostava mais, cabia a mim lidar com esse fato. Tudo o que eu podia fazer a partir dali, era dizer pra mim mesma: ''tá tudo bem, vai ficar tudo bem.''

Alguém não gostar de você não faz de você uma pessoa ruim ou desinteressante e quem não consegue gostar de você na mesma proporção também não é uma pessoa ruim por isso. Quantas pessoas já gostaram de você e você não foi capaz de gostar de volta? Gostar de alguém não vem com um manual de instruções. Não existe tutorial pra aprender a gostar de alguém, não se gosta de alguém assistindo algum vídeo no Youtube ''como gostar de uma pessoa ou fazer essa pessoa gostar de volta.''

Gostar tem que ser autêntico, tem que acontecer naturalmente, tem que ser leve e espontâneo. Você pode até tentar gostar de alguém, pode até conhecer alguém interessante e tentar gostar dessa pessoa, mas no final das contas você percebe que, quando você tenta premeditar as coisas não funcionam. Gostar não precisa ser metódico.

Não pense que a reprovação de uma pessoa significa que você não é alguém interessante. Saiba que o outro tem toda liberdade de não gostar da gente e por isso, escolher ir embora. Entenda que gostar às vezes não acontece na mesma proporção que esperamos,  às vezes o outro só esta em um momento da vida bem diferente do seu, sabe? Às vezes a outra pessoa  amou mesmo te conhecer, saber dos seus planos e sonhos, conhecer um pouquinho a tua bagunça e só. Não minimize a tua pessoa ou diminua o tamanho de alguém porque esse alguém não te quis. 


Não escolhemos pelo quê ou por quem a gente vai gostar. E tá tudo bem.

A gente tenta disfarçar que não dói.

Tentamos disfarçar que não dói, tentamos disfarçar a saudade e dizer pra nós mesmos que devemos seguir, mas sair da vida de alguém quando queríamos ficar, não é fácil. Dói e dói um bocado.

A gente muda o caminho pra não lembrar. A gente procura alguma coisa pra se ocupar porque qualquer espaço de tempo que sobra a gente acaba encaixando uma lembrança. E se a janela do ônibus pudesse falar, ela contaria toda a saudade e toda bagunça que a gente joga por ela enquanto não chegamos no nosso destino.

A pessoa estuda na mesma faculdade, está no mesmo ciclo de amizade, faz o mesmo curso e frequenta os mesmos lugares nos finais de semana. Impossível não esbarrar. O medo é ir a esses lugares e perceber que o amor ainda existe. A gente tenta disfarçar a dor, usar a saudade como curativo e esconder todas as brechas só pra não demonstrar que o peito ainda está entreaberto.

A gente tenta disfarçar que não dói ver aquela pessoa indo embora, mas será que tem como fingir que não dói tudo aquilo que a pessoa nos deixa? Tudo aquilo que fica com a gente sem que, sequer, tivéssemos pedido? As músicas que o outro nos apresentou, a maneira de olhar o mundo e as coisas, os tiques nervosos, o timbre da voz e o volume da risada.

A gente tenta disfarçar evitando procurar não saber noticias do outro. Talvez seja melhor parar de seguir no instagram, bloquear o Whatsapp, excluir do Facebook. A gente diz: ''Tá tudo bem, sério.'' mas por dentro, está um caos, ruas devastadas, placas apontando pros caminhos errados e mais um novo acidente emocional toda vez que em que se ouve o nome dele. A gente corre de esquina a esquina procurando refúgio, a garoa do disfarce do lado de fora não é nada perto da tempestade que a gente enfrenta por dentro.



Às vezes as pessoas saem da nossa vida na mesma maneira em que entram. Às vezes saem mais rápido do que queremos ou esperamos. Quando menos se espera, elas estão em outros lugares, com outras pessoas, fazendo outros planos. Às vezes as pessoas entram na nossa vida, nos proporcionam sensações incríveis e momentos tão intensos que quando vão embora, parece que tudo só durou um cochilo. Algumas pessoas chegam e só vão, não te dão motivos e te deixam sem resposta pra absolutamente tudo. Talvez as pessoas entram na nossa vida com um único propósito: nos ensinar algo ou aprender alguma coisa com a gente.

Talvez você não precise envolver ninguém na tua bagunça agora. Talvez você precise organizar essa bagunça que ficou e não mais empurrar pra debaixo do tapete ou jogar em baixo da cama e disfarçar que tá tudo bem. Não se sinta culpado por não ter dado certo ou porque o outro está aparentemente feliz agora. Talvez você tenha sido alguém escolhido pra preencher aquele espaço e tempo porque precisava aprender algumas coisas ou talvez, porque precisasse ensinar. 

Um dia alguém vai te dizer: ''Acho melhor não nos vermos mais.''


Um dia você vai ouvir aquelas músicas em comum mais vezes do que deveria ouvir. Vai usar frases ou algum trecho da letra daquela banda favorita de vocês só pra, de alguma maneira, surpreendê-lo. Você vai se apaixonar e vai sentir necessidade de escancarar isso porque a cada dia que passa a paixão só aumenta dentro de você, e você sente necessidade de dizer. Mas dizer, talvez, nem importe tanto, talvez o outro nem queira saber que você está apaixonado porque o motivo dele estar com você não significa que ele também esteja apaixonado por você, significa apenas que ele gosta de estar com você.


Você vai frequentar os mesmos lugares que você sempre gostou de ir, mas dessa vez sente que se ele não estiver lá, esses lugares não vão ter mais tanta graça assim. É como se você não se importasse mais com o mundo a sua volta e tivesse perdido o interesse pela mundo que você tinha antes de conhecer ele e achasse que tudo só faria algum sentido se ele estivesse com você. Uma dia você vai se envolver tanto a ponto de nem considerar o fato de que o outro pode apenas ficar por gostar de estar com você ou pra jogar conversa fora e isso está longe de significar que ele te ama.

Você vai começar a caçar gostos em comum, a avaliar os gestos e as manias dele como se fosse uma forte candidato a te fazer feliz quando na verdade você nem sabe o que ele realmente quer ser, talvez queira só estar ali até o momento de ir embora chegar. Você começa a achar bonito a maneira que ele molha os lábios quando sua boca seca. O jeito que ele te olha de baixo pra cima enquanto está tomando um milkshake. As covinhas do quadril ou das bochechas, ou do queixo, ou qualquer uma dessas covinhas com profundidade suficiente pra você depositar suas expectativas, até o desenho que se forma no rosto dele quando ele sorri, porque os olhos diminuem e as bochechas saltam pra fora. Tudo, absolutamente tudo passa a ter um significado pra você. Você nem tem tanta certeza assim de que ele vai permanecer até amanhã.



Você vai encontrar alguém que ache graça das tuas piadas, que vai te achar uma pessoa interessante e vai te dizer isso a todo instante, mas saiba, essa pessoa pode sumir da tua vida amanhã. Vocês tem gostos parecidos, ele te elogia, diz que o teu sorriso é bonito e o teu cabelo bagunçado te deixa com uma cara engraçada. Você vai ficar sem graça quando ele te elogiar e não vai saber o que dizer. Até que tudo isso se transforma em motivos pra que você se convença ainda mais de que ele é o amor da sua vida, quando na verdade tudo isso, tudo o que ele fez e disse, todos os gostos e manias em comum, não faz dele a tua alma gêmea.

Você vai ouvir ele dizer que não quer nada sério agora, que é só algo casual, sem pressão e cobranças, que é só deixar rolar. No fundo você sabe que a cada dia que você deixa rolar, algo dentro de você te cutuca dizendo que, de tanto deixar rolar, você vai quebrar a cara no final das contas. Até que, de repente, ele diz que vai embora e você fica no meio do caminho sem saber o que dizer ou fazer. Dai você aprende que essa coisa de deixar rolar só funciona se você não estiver envolvido, porque se você deixar rolar e ao mesmo tempo alimentar suas expectativas, vai dar merda. Sempre dá.

Um dia alguém vai ser como a Summer na sua vida ou você vai ser a Summer na vida de alguém. Você não vai saber exatamente o que é essa coisa entre vocês, rotular a situação que vocês estão seria como dizer ''eu te amo'' e dizer isso, talvez, fosse o fim de tudo. Você só quer ter a segurança de estar nisso e não acordar amanhã com uma mensagem no teu celular dizendo: ''melhor pararmos por aqui''.


Você não vai saber direito o que está rolando entre vocês, nem o que vocês estão fazendo. A unica certeza que você vai ter é de querer continuar nisso porque isso de alguma forma te faz se sentir vivo. Você não consegue imaginar que aquele instante, a qualquer momento, pode chegar ao fim, até que tudo desmorona sobre você em forma de uma sutil e dolorosa frase: ''acho melhor não nos vermos mais''.


A verdade é que nos preparamos pra receber o outro, mas nunca estamos preparados pra lidar com a sua despedida.

Não guarde mágoas, guarde amor.

Outro dia, escrevi algo sobre o amor que acabou intrigando algumas pessoas: ''Amor é torcer para que o outro amadureça, para que ele não cometa os mesmos erros que cometeu contigo com a outra pessoa. Amor é, mesmo com vontade de que o outro estivesse com você, desejar que ele possa ser feliz com outra pessoa, porque o amor não é egoísta, ele é livre de qualquer orgulho.''

Dito isso, uma pessoa me respondeu: ''
O que eu sinto então, está longe de ser amor. Apesar de gostar muito dele, não consigo desejar o bem pra uma pessoa que me fez sofrer muito! Espero que ele pague na mesma moeda.''

Foi então que eu pensei o quão o tempo é necessário pra o amadurecimento do nosso interior. Às vezes alguém chega, bagunça completamente nossa vida, vai embora e a gente que tem que se virar com tudo sozinho. Nada fica no lugar, tudo dói, sobra frustrações, raiva, mágoas. Mas acho que em algum momento da vida a gente para pra refletir sobre isso e aprender que não vale a pena guardar mágoa alguma, porque isso só pesa a gente, sabe? O melhor a ser feito é jogar tudo pro lado de fora, desfazer de todo sentimento ruim que alguém te deixou e aprender, sozinho, a colocar as coisas no lugar.
Eu fiquei com uma pessoa por 6 anos. O relacionamento se tornou abusivo, a pessoa me traiu várias vezes e mentia pra mim sempre quando eu questionava. Essa pessoa me tirava de louco, de ciumento e descontrolado. Me tornei uma pessoa abusiva e insegura, possessiva e imatura. Esse relacionamento me trouxe crises de ansiedade e gastrite nervosa, além do medo de me envolver com alguém novamente. Mexeu tanto com o meu psicológico que eu não conseguia me achar inteiro e bonito, essa pessoa me fez acreditar que eu precisava dela quando na verdade tudo que eu precisava era de mim mesmo. Essa pessoa me iludiu, me enganou, e teve a coragem de dizer pra mim que tudo isso era amor. Eu comecei a acreditar que amor era ficar mesmo que me manter em uma relação assim me tirasse a paciência, o foco e o meu brilho. Eu acreditei que amor era permanecer independente de qualquer coisa, jamais ir embora mesmo que eu estivesse um caos por dentro. Eu acreditei que o amor era o maior sentimento do mundo, maior até mesmo que a minha estabilidade emocional e o meu interior, quando na verdade o amor era só mais um sentimento bonito que se não me fizesse bem não fazia sentido algum mantê-lo dentro de mim. Depois desse relacionamento, eu me fechei pra conhecer novas pessoas durante um ano e meio. Hoje, eu só desejo a essa pessoa que ela encontre alguém legal e que se corrija dos erros que fez comigo, que consiga ser pra alguém uma pessoa foda e não um desastre como foi comigo. Eu só desejo sorte mesmo porque a minha sorte foi me livrar dessa pessoa. Eu tinha tudo pra dizer que o amor é uma bosta, que amar é literalmente uma merda e que a paixão não serve pra absolutamente nada senão pra iludir e no final das contas, machucar a gente. Eu tinha tudo pra odiar uma pessoa e falar mal dela aos quatro canto desse mundo, mas preferi desejar sorte pra ela e torcer do fundo do meu coração que ela encontre alguém e saiba amar, que não seja canalha como foi comigo porque o amor não merece isso.