Carta aberta ao meu ex.

Dia desses recebi algumas mensagens do meu ex (que ele me perdoe por expôr isso). Uma mensagem dizia que estava com saudade de mim, que se arrepende até hoje por ter me perdido e que finalmente se deu conta que jamais encontraria alguém como eu. A segunda mensagem dizia: ''Desculpa por tudo, mas eu ainda te amo.'' Engraçado que no período em que eu estava ao lado dele, em que eu me doei por inteiro, vivi o amor como é pra ser sentido - intensamente -, mas ainda assim ele teve a capacidade de me decepcionar inúmeras vezes. Hoje eu não sinto saudade, não sinto falta alguma e por mais que tenha sido amor eu não tenho o mínimo de interesse em saber se ele ainda me ama, porque isso agora é irrelevante pra mim. Não sinto raiva, nem rancor, sabe? Afinal de contas, graças as rasteiras que a gente leva no meio do caminho que a gente aprende a levantar, limpar a sujeira do joelho e seguir em frente de cabeça erguida. Costumo carregar comigo de cada relação uma lição, e sabe o que eu acabei de aprender ao ler essas mensagens? É que apesar de, às vezes, ter perdido a direção, apesar de não ter noção de como superar um término ou uma traição, eu fiz a escolha certa em ter seguido em frente, aprendi, me permitir amadurecer e jamais perder o meu tempo com gente que não aprende a valorizar enquanto se tem. Desejo do fundo do coração que ele aprenda a lidar com isso. Querido ex, que um dia foi amor intenso mais de alguma maneira se tornou uma decepção imensa: o meu muito obrigado. Obrigado por tudo que você me ensinou mesmo sem ter a intenção, porque as escolhas que você fez me tornou a pessoa que sou hoje. Obrigado por cada escolha errada que você foi capaz de seguir, por cada mensagem minha que você ignorou, por cada momento que me tirou o sono e o chão. Obrigado por tudo o que você não foi capaz de ser e fazer, e principalmente, por tudo aquilo que você fez sem ter a minima capacidade de enxergar as consequências. Saiba que eu tive que lidar com toda a confusão que você me deixou, agora talvez seja a sua vez de lidar com toda a ausência que te causei. Quem eu sou hoje jamais perderia tempo com a pessoa que você ainda é. Fico feliz por ver, ainda que seja da pior maneira, que você finalmente conseguiu aprender que o tempo passa e com ele a gente aprende a lidar com a saudade, mas além da saudade ele nos ensina muito mais sobre aquilo que perdemos por puro descuido. Querido ex, daqui fica o meu ''visualizado e não respondido'', o meu silêncio que um dia nem foi percebido por você. Se quer saber, a mensagem chegou até mim mas felizmente o que me chegou primeiro foi o amor próprio, e é esse amor que você deveria conhecer ao invés de ainda perder o seu tempo me enviando mensagens às 3h da manhã de uma quarta-feira.

Não tenha medo de mergulhar nas pessoas.


Se tem uma coisa que eu preciso te dizer é: não tenha medo de mergulhar em alguém. Não fuja por medo de sentir intensamente o sabor de uma paixão, deixe que a vida te ensine porque no final das contas você vai perceber que, apesar de tudo, valeu a pena o mergulho e que de alguma maneira, os momentos te proporcionaram sensações que você não sentiu antes. Não deixe de mergulhar em alguém por medo de se perder, no final a gente sempre se reencontra, ainda mais forte e mais maduro. Não seja covarde consigo mesmo, se estiver a fim de conhecer o interior de alguém não fuja por medo de se machucar. Às vezes a gente perde oportunidades incríveis e pessoas fantásticas por puro medo de se relacionar ou de se envolver. Não tenha medo de se enrolar em alguém, permita que as tuas pernas se enrolem ao ver o outro sorrindo pra você, permite que o teu cabelo enrosque nos dedos do outro, permita que a tua alma abrigue a alma do outro e se por acaso você sentir medo de se enrolar todo, e tropeçar, e se machucar, lembre-se que o tempo pode até te ajudar a curar algo, mas você só aprende a amadurecer passando por certas situações. Não tenha medo de mergulhar na alma de alguém. Só assim você vai aprender que algumas pessoas são rasas demais, outras profundas demais, outras um mar violento. Mas é entrando no mar e saindo da areia que a gente aprende a velejar. Ao mergulhar você vai perceber que algumas pessoas são âncora e outras porto seguro, e assim você vai aprender a lidar e consequentemente evitar a superficialidade das pessoas. Permita-se aprender com os mergulhos e jamais fuja de alguém que você até achou interessante por puro medo de se envolver e se machucar. Eu sei que conhecer o interior do outro dá um medo danado, às vezes decepciona da mesma forma que atrai, vezes assusta, vezes encanta, vezes machuca na mesma intensidade que cura, mas ainda prefiro dar a cara a tapa, ainda acho que permitindo que a vida me leve consigo muito mais aprendizado pra levar na bagagem e amadurecer que simplesmente fugir e evitar sentir. Ainda penso que encarar as tempestades me deixa muito mais forte que continuar observando da areia e jamais ter coragem pra mergulhar. Prefiro morrer mergulhando que perder uma vida evitando.

Amar não é sempre insistir, às vezes amar é desistir também.


Desculpas se você acha que amar é nunca desistir e sempre insistir. Mas por acaso você já cansou de se esforçar por alguém e esse alguém não te deu o valor que você merecia? Por acaso você já se sentiu sozinho ao se entregar pra alguém e esse alguém simplesmente não se importou tanto com o que você sentia? Por acaso você já se importou demais, perdeu noites de sono, chorou uma madrugada inteira por alguém que no final das contas ria de você e nunca se importou com a tua dor? Você por acaso sabe o que é amar imensamente alguém e em troca, esse alguém te dar algo que cabe na palma da tua mão?

Cê por acaso já sentiu tanto que o teu peito parecia que iria explodir, que a tua garganta parecia que tinha dado um nó, que a tua voz naufragou, a tua barriga embrulhou e você perdeu todas as direções quando alguém que você amava te decepcionou?

Eu posso te dizer com toda certeza do mundo que amar não é insistir quando nada faz mais sentido. Amar é saber a hora de ir embora pra não deixar as coisas ainda mais confusas. Amar é desistir antes que as coisas percam o sentido, entende?

Porque amar não é egoísmo, amar é aceitar quando as coisas tomam outro rumo, é entender que às vezes, a gente não pode evitar, resta só aceitar e seguir caminhos distintos. Amar não é achar que o final de um relacionamento é o fim do amor, não é acreditar que ali o amor morre e que tudo que foi vivido por vocês não valeu a pena.

Amor é acreditar que tudo que foi apreciado enquanto vocês estavam juntos valeu muito a pena, é entender que as experiências que vocês trocaram valerão pra vida toda. Amor é perceber, até na dureza de um fim, que todo final requer um recomeço e que às vezes a gente precisa aprender a recomeçar sozinho.

Amor não é correr atrás de alguém que sempre está se distanciando de você, amor é quando a distância faz a saudade doer e os dois correm, só que um de encontro ao outro. Amor não é ser indiferente, não é fingir que não sente, muito menos correr atrás de alguém que claramente não se importa pros seus sentimentos. Amor é sentir lá dentro e ter necessidade de escancarar pro lado de fora, e entender que o que você sente não merece ser escanteado por ninguém. 

Amor não é desejar que o outro se dane, não é torcer pra que o outro se decepcione com outra pessoa. Amor não é negar o que foi vivido, amor é saber agradecer ao passado, pelos tropeços que você levou, pelos erros que você cometeu e pelas decepções que o outro te causou. Amar é conseguir enxergar o quanto imaturo você foi e se esforçar pra ser melhor que antes. Por isso amar é torcer pra que o outro alcance os seus objetivos mesmo que o outro não esteja mais ao teu lado, é desejar boa sorte e esquecer as dores do passado, é dizer pra que o outro siga em frente e jamais esquecer que você também deve seguir.

Por fim, amor não é insistir em quem não te merece. Amor é desistir de quem não vale a pena e só insistir em quem faz valer.