A saída das pessoas da sua vida não diminui o tamanho de quem você é.


mesmo que às vezes seja difícil acordar e se gostar ao ver a sua imagem refletindo no espelho. mesmo que você não compreenda como sempre acaba sozinha, dando muito de si pros outros e muitas vezes, recebendo tão pouco. mesmo que você não consiga entender como as pessoas podem mentir pra você olhando em seus olhos, quando você só consegue dizer aquilo que o teu peito te conta. sem fingir. sem machucar. mesmo que você se sinta um pouco mais fria. ou perceba que a cada pessoa que passa pela sua vida, que toca o teu corpo e depois vai embora como se nunca tivesse te conhecido, você continua tendo coragem de mostrar que dentro de você, há excesso de amor. eu sei que parece que o seu karma é se foder e que você já não aguenta mais se embrulhar de si pra dar a alguém que no final das contas, não vai ter nada pra te oferecer, ou vai sumir da sua vida. por que quase sempre é assim, não é? ainda que você reconheça que amar você é a primeira coisa a se fazer, mas às vezes não consiga colocar em prática, porque eu sei, é difícil. a gente é humano e humanos se perdem de vez em quando. mesmo que você olhe pro lado de fora e se pergunte: por que porra as pessoas que eu me envolvo são tão rasas? eu espero que você olhe mais pro lado de dentro e perceba, que a saída das pessoas da sua vida não diminui o tamanho de quem você é. que você reconheça que ficar ao seu lado é um privilegio que só você tem. então admire mais isso. se acolha mais. se aceite mais. porque se mesmo com todos os calos que os seus pés possuem, e todas as marcas que o teu peito carrega, você ainda consegue ter tempo pra redescobrir a sua capacidade de sentir. se mesmo quebrando a cara você ainda consegue ter forças pra recomeçar e transbordar amor outra vezes, eu preciso te dizer que isso já é muito. e você é foda pra caralho.

Se não te faz bem, não te fará falta.


minhas sinceras desculpas a todas as pessoas que possam passar pela minha vida. mas eu vou escolher a mim sempre que preciso for. porque durante muito tempo eu escolhi o outro. eu fiz pelo outro o que esqueci de fazer por mim. eu amei o outro dando tanto de mim a ponto de muitas vezes não me ter mais por completo. eu me entregava pro outro e esquecia que o mais importante, era me ter no fim de tudo. é por isso que penso: eu jamais vou me trocar por ninguém nesse mundo. não mais. mesmo que me doa abrir mão. ainda que partir seja mais um processo a ser superado. só existe uma regra: se não me faz bem, não me fará falta. hoje eu escolho eu. porque sim. porque ser eu é tudo o que resta quando ninguém mais está aqui. porque eu entendo que a minha capacidade de amar é gigantesca e o não preciso do mínimo que alguém queira me dar. e tudo bem se algum dia eu olhar pro espelho e não encontrar as respostas que procuro. porque eu entendo também que não é nos outros que eu vou encontrar essas respostas. eu compreendo que não é ninguém que vai me salvar das tempestades internas e dos dias frios. eu escolho eu. mesmo com todos os defeitos e inseguranças. porque eu sei que quando as coisas estiverem uma merda, eu vou está aqui. porque não é no outro que está a felicidade que por tanto tempo procurei. é aqui. comigo. na minha pele. no meu corpo. dentro de mim.

vai ficar tudo bem.



não sei quantos anos você tem, não sei quantas vezes já passou por isso. mas eu preciso te dizer que: algumas pessoas vão embora e isso não significa nada sobre você. algumas pessoas perdem o interesse, algumas relações não vão ser reciprocas e mesmo que você transborde amor, às vezes o teu amor será recusado.

apesar de tudo, lembre-se que nada disso te faz menor.

espero que você se lembre também das pessoas erradas que você amou, dos dissabores das relações rasas que você mergulhou e dos amores cruéis em que você foi capaz de ficar por tanto tempo. quero que lembre que você é incrível, ainda que tenham te magoado. 

e espero que tenha aprendido que você não tem o poder de fazer ninguém te amar e que por isso, você não precisa se culpar tanto toda vez que alguém não te aceita.

saiba que a mais pura forma de amar é, primeiramente, amando quem você é. e eu sei que amar a si mesmo é difícil pra caralho. mas ame as suas marcas, suas curvas, seu corpo, sua aparência. porque você é importante e ninguém fará isso por você.

seja grato as coisas que aconteceram, ainda não tenham acontecido da maneira que você esperava. você vai agradecer pelo fim de algumas coisas, talvez não agora. mas um dia você você vai entender que algumas pessoas são melhores distantes da gente. 

se você está onde não queria estar, pense que talvez, você esteja no lugar que deveria, passando por tudo isso, porque há de ser melhor um dia. os machucados de hoje te farão melhor amanhã, ou daqui há uma semana, um mês, ou um ano.

talvez demore um pouco ou seja mais rápido do que imagina, mas vai ficar tudo bem.

Às vezes ir embora é a decisão mais certa para você


por um momento eu me questionei: como pode ser amor se estou abrindo mão? como posso amar alguém se estou tendo que ir embora? 

a resposta veio quando olhei pro espelho e pra dentro de mim: 

a gente vai embora não por deixar de amar alguém, mas pra não perder o amor por nós mesmos. ninguém dorme amando alguém e acorda deixando de amar. a distância, a falta, a irresponsabilidade, tudo isso machuca. essas coisas afastam o amor. e aos poucos ele se transforma em algo que não vale mais a pena ser sentido ali. naquela relação. com aquela pessoa. então você parte. mas não por essa ser a sua vontade, e sim, por parecer ser a coisa mais certa.

é que quando você descobre a leveza que o amor é capaz de proporcionar na tua vida, de dentro fora do teu corpo, você entende que não precisa se submeter a qualquer relação que te tire a paz. e é por isso você vai embora. mesmo amando.


e é assustador quando chega o momento em que você percebe que não ama mais aquela pessoa que por tanto tempo, achou que fosse o amor da sua vida. ou pior, que ainda ama, mas não dá mais. é incrível como as coisas mudam, como o amor muda, nem sempre a gente fica com ''o amor da nossa vida'', um dia a gente percebe que amores da vida não doem.

e você vai entender o significado do amor quando precisar recolher o seu e seguir a sua viagem. sozinho. mesmo sem deixar de querer, mas precisar não querer mais porque dói ficar, dói querer, dói continuar amando aquela pessoa. a dor de partir parece melhor. e às vezes é.

Chega uma hora que você só quer estar sozinho


chega uma fase da vida que você só quer estar sozinho e apreciar a calmaria de estar com a sua própria companhia. 

você não quer bagunça, não quer estresse, não quer perder tempo com gente mal resolvida. chega uma hora que você só quer ficar na sua, porque as pessoas cansam, e em algum momento você se cansa de se importar tanto também. 

é bem melhor colocar suas séries em dia que tentar ser relevante pra alguém que pouco se importa pro que você sente. é melhor cuidar das plantas, ler um livro novo, assistir alguns desses vídeos engraçados durante a madrugada. é melhor você acordar, olhar pela janela e pensar no quão grande o mundo é, e você precisa provar muitos sabores e lugares ainda. sozinho. porque não existe problema em estar só. 


você pode sair de si quando de vez em quando, mas com a certeza de que é pra lá que você tem que voltar quando o outro for embora. porque quando você reconhece que você mesmo é o seu abrigo, nunca mais você se abandona pra insistir em entrar na vida de ninguém. 

eu por exemplo, não desisti de encontrar alguém interessante, alguém pra rir dos meus desastres e provar os meus gostos mais estranhos, alguém pra contar sobre os seus planos e dividir comigo suas frustrações, alguém que eu pense antes de dormir e desperte no dia seguinte desejando que acorde tão bem quanto eu. eu não desisti do amor, muito menos de encontrar alguém que eu consiga enxergar afeto. 

eu só não procuro mais esse alguém. porque pra mim não é mais uma necessidade. se tiver que encontrar, tudo bem. se não, eu tô bem sozinho também.