Feliz um ano que te desconheci

Há um ano atrás eu pensei que não conseguiria seguir a minha vida sem você, mas consegui. Há um ano atrás eu pensei que nunca mais iria encontrar sentido para o amor, mas encontrei. Há um ano atrás eu pensei em desistir do amor e de qualquer sentimento que me fizesse envolver com alguém, mas não devemos desistir de algo que nos faz bem só porque um dia alguém nos fez mal. Lembro que acabamos porque eu já não suportava mais ter que suportar todas as suas mentiras em nome do nosso amor. Eu já não suportava mais me machucar, já não te suportava mais. Doeu ver que duas pessoas que um dia se amaram inteiramente, acabaram chegando num ponto de desistir de continuar juntos. Sufocaram e mataram o amor de tanta insistência. Há um ano trás, eu decidi descarrilhar o meu peito do teu trilho, tirar o meu amor do teu campo e de uma vez por todas, voar para algum lugar distante de você. Tomar essa decisão de ir embora talvez doesse tanto quanto ficar ao teu lado, e foi exatamente por isso que decidi ir. Eu sabia que uma hora iria me acostumar com tudo isso. Em algum momento tudo iria passar. Às vezes demora, dói e machuca. Às vezes parece que nunca vai passar, mas passa. Sempre passa. Lembro que eu chorei, chorei feito criança, mas segui. Há um ano atrás, exatamente um ano atrás, eu pensei que meu coração viraria pedra e ninguém mais conseguiria entrar, nem mesmo eu. Eu pensei em costurar o meu coração e não deixar mais ninguém entrar, em reagir a qualquer tipo de amor, inclusive ao meu próprio. Há um ano atrás eu pensei que o amor nunca mais fosse me carregar no colo, me estender as mãos e me mostrar que não era o fim. Pensei que o amor havia desistido de mim naquele momento, que não existiria ninguém capaz de me fazer acreditar novamente no amor, até que descobri o melhor caminho. Naquele momento era o amor me dizendo que às vezes a gente precisa abrir mão do que nos consome e nos machuca, para daí, perceber a existência dele.
Descobri, pouco depois de me permitir ir embora de você, que o primeiro passo para o nosso amor florescer dentro da gente é perceber que às vezes o jardim que queremos plantar o nosso amor não o merece. Foram dias cansativos, confesso. Medo da solidão, do tempo, da demora. Mas aí veio a resiliência e me trouxe de volta, me levou para a parte mais interna de mim e me mostrou que existia amor além de você. E então eu entendi que quando te deixei ir, eu estava na verdade, trazendo a minha paz e a minha liberdade de volta pra mim. Terminar com você foi o começo de um novo caminho que eu precisava encarar sozinho para perceber o que de fato é o amor. Fechar a porta para nós e jogar a chave por baixo foi fundamental para que eu abrisse uma nova porta para mim e enxergasse que o amor é, para além de todas as coisas, bom e curador. Eu tenho sido para mim, inteiro. Passo por esse aniversário são e salvo. Espero que você possa dizer o mesmo. Feliz 1 ano que te desconheci.

Términos não são o fim do mundo.

Chega num ponto da estrada que percebemos que não resta mais alternativa alguma. Todas as esperanças se esgotaram, os planos não fazem mais sentidos, conversas e telefonemas doloridos. Nada do que possamos fazer parece resolver as coisas que estão fora do lugar, tudo parece fora do lugar. Outro dia eu li uma frase que dizia: ''Se chegar o momento de saltar, não exite e salte sem medo, sem olhar para trás.'' Faz pouco mais de um ano e meio que, mesmo com medo, decidi saltar, seguir a minha vida e nunca mais olhar pra trás. Desde então, depois do término, aprendi coisas que jamais pensei que aprenderia, suportei a saudade que agora virou só lembrança que não incomoda,nem dói. Aprendi a lidar com o fato de abrir mão de alguém que eu amava porque, por mais difícil que fosse admitir isso, era a melhor decisão a se tomar. Você simplesmente aprende a lidar com o fato de que, às vezes as pessoas não permanecem ao teu lado (e muitas vezes é melhor que não permaneçam mesmo), relacionamentos acabam, términos acontecem e você precisa aprender, na cara dura, a se reinventar porque a vida é isso. É seguir em frente, aprender a lidar com perdas, independente de como essa perda te deixou. Se você já passou por pelo menos mais de um término, já parou pra pensar que todo fim te traz uma nova maneira de aprender a lidar com o que se foi e enxergar a vida de forma mais madura e segura? Não estou dizendo que terminar com alguém que você ama pra caralho seja o melhor caminho pra te tornar uma pessoa mais cautelosa e responsável, mas se você já superou ao menos dois términos, você deve entender o que eu estou falando. Términos te ajudam a compreender que depositar expectativas demais em alguém não torna esse alguém mais interessante pra você, só transforma o outro em uma pessoa baseada nos seus pontos de vistas. Às vezes términos te deixam com aquela sensação de ter perdido a direção e não saber exatamente o que fazer depois que o outro partiu, mas términos também te ajudam a se reencontrar, a se reerguer sozinho, a buscar na tua interioridade novos caminhos e assim, estar pronto pra uma nova fase da sua vida. A gente costuma pensar que nunca mais vamos encontrar alguém com aquelas características especiais que alguém que amamos possuía. E talvez, a gente nunca mais encontre mesmo, mas isso significa que os outros relacionamentos não possam ser realmente bons. Talvez as pessoas sejam insubstituíveis na sua essência, mas o que dita o tom, a intensidade e a durabilidade do relacionamento é mais a disponibilidade dos sujeitos que as suas características pessoais. Num dado momento você percebe o simples fato de que, mesmo que vocês se esbarrassem novamente, o que viveram passou. Não volta mais. Você não é mais o mesmo, ela não é mais a mesma. Você deixa de se achar que o tempo que vocês passaram juntos deva ao menos significar alguma coisa, e talvez até signifique, mas essa coisa agora é muito pequena perto do que você busca. Fim de relacionamento não é o fim do mundo. Sempre vai existir alguém disposto a fazer por você o que outra pessoa não fez.

Você já se perguntou o que nós poderíamos ter sido?


Às vezes me bate aquela vontade louca de te mandar uma música, um trecho de uma poesia que me lembrou você, uma comida que a gente precisava fazer juntos e nem deu tempo. Às vezes bate aquela vontade de marcar o teu perfil em uma dessas publicações que lembram o teu gosto musical ou lugares que você um dia me contou que tinha vontade de visitar.

Se eu tento te esquecer, o teu cantor favorito resolve tocar no rádio do vizinho, aquela música que você um dia me mandou aparece nas sugestões pra ouvir do Spotify. Eu tento fugir dessa saudade que tem o teu nome, teu cheiro e o teu abraço bom, sabe? Eu tento esquecer de como o teu beijo encaixava no meu e de como o tempo passava quando eu estava ao teu lado e eu nem percebia. Eu tento não lembrar do teu sorriso sem graça, da tua cara amassada na minha manhã e do teu cabelo embaraçado quando me permitia te bagunçar. Mas simplesmente não dá pra esquecer. 
Queria ter coragem pra deixar de observar se você está online e falar tudo que tô sentindo, mas deixa pra lá, nem sei se você sente saudade de mim também. Eu queria poder clicar no teu nome e te escrever o quanto você faz falta, mas por não saber se isso vai fazer diferença na tua vida, por não ter certeza de mais nada e principalmente, por medo de ser ignorado, eu prefiro botar essa saudade no bolso e seguir a vida.

E saudade de bolso dói, sabia moço?

O pior disso tudo é saber que foi eu que coloquei um fim, eu que disse que não queria mais enquanto você não entendia nada, eu que preferi fugir disso quando senti que estava me envolvendo demais e tinha medo de não saber lidar com tudo isso. Foi eu que escolhi parar, porque lá no fundo, eu sentia que a gente poderia dar em alguma coisa, mas o medo de não dar em nada falou mais alto. No fundo, eu fiquei com medo de não conseguir suportar o peso que eu tava carregando e acabei derrubando no chão antes que ele me machucasse.

Não sei dizer se voltaria ou se tentaria tudo de novo, a unica certeza que eu tenho agora é que eu sinto saudades, do cheiro, do gosto, da voz, do abraço, de tudo que um dia você foi pra mim, de tudo que você deixou e de tudo que poderíamos ter sido. 

Não envolva ninguém na tua bagunça.

A gente têm uma mania de achar que uma nova pessoa possui o poder de nos fazer esquecer de uma outra. E então a gente acaba aceitando envolver outras pessoas na nossa bagunça pra no final das contas entender que enquanto a gente não se desprende do passado, enquanto a gente não encara a realidade dos fatos e de uma vez por todas organiza nossa bagunça sentimental, vai sempre dar errado envolver alguém no meio disso.
Enquanto você atender as ligações do outro, dar satisfação quando na verdade, nada da sua vida interessa mais, não vai dar certo com outra pessoa. Enquanto você querer saber onde o seu ex está, sentir saudades e nunca aprender a aceitar que você precisa seguir em frente, enquanto você fingir que está tudo bem e sempre voltar atrás só pra saber se ele está melhor do que você ou se já encontrou outra pessoa, você nunca vai estar inteiramente pronta pra receber um novo alguém. Às vezes, a gente acha que abrir as portas pra novas pessoas é o primeiro passo pra aprender a lidar com o fim e não sentir falta do outro, quando na verdade, a gente precisa primeiro organizar toda a bagunça que a outra pessoa nos deixou, se possível, trocar algumas coisas dos lugares, mudar as cores das paredes, se desfazer de certas lembranças e só permitir que uma nova pessoa entre se tudo estiver no lugar. Você não vai se livrar da dor que alguém te causou usando novas pessoas como curativos pro teu peito. Não importa se o outro superou o fim mais rápido que você, não interessa se o outro aparentemente está muito bem sem você, ou se você ainda não conseguiu encontrar o melhor caminho pra superar tudo isso. Entenda que o melhor caminho não é envolver outras pessoas na tua bagunça, ninguém tem nada a ver com o que uma pessoa te causou, ninguém precisa te conhecer com todas as decepções, medos e machucados que alguém te deixou. Permita se curar, aprender com a dor a se tornar alguém mais forte e mais maduro. Permita se conhecer ainda mais dentro da tua própria bagunça, uma hora você vai aprender que varrer as coisas pra debaixo do tapete e achar que está tudo bem, não vai ficar bem. Você precisa encarar a realidade e jogar o que não te serve mais pro lado de fora, e só depois que tudo estiver no seu devido lugar, receber uma nova pessoa.

Não nasci pra ser contatinho de ninguém, nasci pra ser mozão!


Pensando bem, acho que eu me espelhei em você e acabei depositando todas as minhas expectativas em uma pessoa que não estava disposta a realizar nada ao meu lado. Eu achava que você seria aquele cara foda que eu procurava, que iria me destravar e me tirar aquele medo de mergulhar de cabeça, sabe? 
Mas não, você seria o cara que iria me travar ainda mais.

Acho que problema foi eu ter pensado que você seria capaz de me surpreender e por isso, ter deixado a minha partida sempre pra depois. Eu sempre esperei mais de você porque no fundo, mesmo com aquele medo de me machucar, eu sempre te dei tudo. Meu erro foi achar que você seria aquela pessoa que enviaria uma mensagem de madrugada só pra me dizer o quanto sentia saudade, que você seria aquela notificação me perguntando se dormi bem ou como foi o meu dia. Meu erro foi achar que você seria aquele barulho de mensagem chegando avisando que queria me ver depois do trabalho. 



Meu erro foi achar que você seria aquela pessoa que iria se interessar pela minha vida da mesma maneira que eu me interessei pela sua, foi pensar que você gostava de mim da mesma intensidade que eu comecei a gostar de você, porque sempre que eu te dizia que iria fugir você me pedia pra ficar, sempre que eu dizia pra você que era melhor a gente acabar essa coisa estranha entre nós pra eu não me machucar, você me dizia pra ter calma e deixar rolar.

Meu erro foi deixar rolar, cara. E de tanto rolar no meio do caminho a gente se perdeu, cada um foi prum lado, você desapareceu. Às vezes, por teimosia, a gente tenta insistir em algo que já está predestinado a dar errado. A gente paga pra ver no que vai dar. E eu paguei por você porque eu achava que no final das contas iria valer a pena. Eu achava que você iria trazer de volta aquela esperança de amor que eu tinha perdido, entende? Eu achava que você seria aquele alguém que me apresentaria o amor leve e bonito, que me faria sentir o amor de um jeito certo, mas não foi.

Eu te queria tanto que passei a acreditar que você era o suficiente pra mim, comecei a achar que o teu tamanho estava bom pra que eu encaixasse o meu mundo. Eu pensei em me diminuir um pouquinho só pra caber direito em você. Mas olha só que burrice, cara! Eu achava que a minha essência merecia o teu frasco vazio.

Eu estava disposto a gostar de você da maneira mais bonita que você pudesse conhecer, mas a ficha caiu antes que eu embarcasse nessa viagem cujo o destino não iria dar em nada. Sabe aquele estalo que dá na vida da gente quando a gente tá indo prum caminho errado e a gente finalmente desperta? Foi assim que eu acordei e decidi que merecia mais, foi assim que eu te tirei da minha vida.

Porque eu sei que não mereço alguém pra confundir os meus sentimentos e me fazer duvidar do amor. Eu não mereço alguém que não aparece, que sempre tem uma justificava pra não me ver. Eu não mereço alguém que diz que está com saudades mas quando tem a oportunidade de estar comigo, escolhe sumir.

E desculpa, meu bem! M
as essa pessoa linda e maravilhosa por fora e por dentro não nasceu pra ser contatinho de ninguém, nasceu pra ser mozão!