Histórias de amor duram apenas 90 minutos.

18:59:00 Iandê Albuquerque 31 Comments




Só peço que as pessoas passem longe das minhas previsões. Que não necessariamente os amores sejam eternos. Só quero que façam diferença. Que deixem um pouquinho de si quando se por acaso, embarcarem um dia. Que deixem impregnado o perfume em meu nariz, que seja suficiente pra me fazer reconhecer a referência afetiva quando um desconhecido passar por mim com o mesmo cheiro. Que me arranque o olhar e me resuma em comentários de boa nostalgia. Que me faça lembrar de quem ficou ao meu lado, do que permaneceu comigo com sorriso de canto no rosto. E você, meu bem, tem a permissão de ir embora e não voltar mais. Te deixo escolher, porque já cansei e decidi ficar aqui pra não correr atrás de qualquer um, ou correr de quem decidiu ficar aqui. Que não somente me tragam companhia, que não só caminhem comigo até a esquina e se despeça de mim com um beijo rápido e um tchau de dar arrepios. Só peço que, se algum dia te mandar embora, você entenda que partir e me deixar te querendo de volta não vai resolver as coisas, mas se não quiser voltar, tudo bem. Só não quero que me deixe com o cheiro do vazio que ficou e que não me faça se arrepender por ter encontrado alguém que se dispôs a misturar o teu cheiro com os cômodos da casa, que aceitou o teu suor escorrendo pelo rosto e molhando os lençóis. Que eu não me arrependa de ter te deixado ir e que principalmente, não me veja escolhendo opções de baladas por vingança todas as noites e de bares nos finais de semana, porque você já não me encontra pela rua. Que eu aceite tudo isso, principalmente se te encontrar um dia por aí. Que aceite de vez que você passou como vento pela janela, que partiu como alguém que aceita o fim com saudade nas malas e razão pra continuar em caixas de papelão, como alguém que brinca de decorar a nova casa e tira a falta como terapia, até que não sinta mais nada. Tudo bem pra mim se você ficar por aí ouvindo rock alternativo e mudando os quadros da sala todos os dias e eu fique por aqui, trocando flores da janela, espalhando as almofadas pelo chão pra assistir um bom filme, bagunçando o lençol da cama sozinho ou se contorcendo de tesão solidariamente de baixo do chuveiro, fazendo tudo o que um dia fazíamos com a maior tranquilidade juntos. Tudo bem se tudo voltar a ser o que era antes de nós e você ficar aí como alguém que se foi como as estações, enquanto crio raízes na primavera e refloresço, renasço. 

Que eu me acostume sem você por aqui e que principalmente, fique bem, me acompanhando nas tardes inteiras. Assistindo novela sem sono de preocupação, largando o celular na mesa sem pena de te ver ligar porque já não existirá propósito nem pernas bambas ao te atender, porque tuas mensagens já não me ocupam nem preocupam. Acordando e deixando as almofadas largadas pelo chão porque o espaço do sofá virou rotina, não que eu esteja evitando que a saudade deite sem demora numa cama de casal, transe e engravide a minha solidão, é que a solidão se tornou mais minha amiga nesses dias de verão, o vazio sem gemidos gruda nas paredes, não existe desespero. Te esperar, se desfez. Refiz o laço no sossego ingrato, na paz solitária, no silêncio profundo de amor que adormeceu, do sentimento que perdeu o som grave que invadia a gente e que se tornou notas soltas, tons mornos, frases sem rima, música sem refrão. A vontade em te ver e te ter ficou aguardando no portão. A vontade foi se perdendo no interfone que me calei pra fingir uma viagem, na ligação que recusei pra fraudar um desapego, na mensagem que não li e apaguei pra autenticar um certo desinteresse, no encostar da cabeça no travesseiro onde o silêncio calou fundo. É verão, meu bem. O amor foi tirar férias do peito. 

Aprendo a te desbotar de mim. Convivo com meu vicio de tomar um gole de café sem calma, deixo esfriar em cima da mesa porque você não vai ficar mais aqui pra compreender essa minha falta de tempo, essa minha pressa, esse meu jeito de largar tudo e me esquecer pra te aproveitar, mesmo que você durma antes que eu chegue até onde quero, mesmo que você finja cansaço pra não bater um papo antigo de que os teus CD's ocupam muito espaço dos meus livros, de que tuas manias tornou o banheiro pequeno, de que teus defeitos já começaram a me empurrar pra ponta da cama, que teu papo já resumiu em tomar a minha parte do guarda-roupas. E assim, me acostumo passar (ou perder, como preferir) o meu tempo sem você. Ta decidido, você vai. Vai sem demora, vai sem esquecer cuecas em minha gaveta, vai sem lembrar que deixou pra trás a camisa dos Beatles que virou meu vestido com vestígios de poeira aos domingos. Poeira que significa: mudança, troca, limpeza. Vai sem demora que eu tenho pressa. Deixa tudo comigo e vai. Vai e não volta me pedindo a camisa porque eu não vou te atender, se por acaso, a fraqueza bater é porque passei a madrugada tentando escrever sobre mim quando a única escolha que tive foi escrever (mais uma vez) sobre você. Por fim, se te atender não me pergunte se a camisa foi sua ou se passei a ouvir as suas músicas, esqueça os Beatles, esqueça a música de fundo que vem da cozinha, esqueça as lembranças pra ninguém se sentir insatisfeito. Lembre de mim como alguém que bateu perdida em tua porta a procura de um bom encontro, eu lembro de você como alguém que vingou os amores perdidos de outros verões, como alguém que caiu em meus braços a procura de sustento provisório para os sentimentos. Vá sem perguntas, porque pesou pra mim, passou o tempo e eu apenas, me encontrei perdida em mais uma historinha de só mais uma aliança jogada fora, em só mais um papinho furado de fechaduras trancadas, em só mais uma conversinha pra desconversar. 


Obs.O titulo: Historias de amor duram apenas 90 minutos, foi inspirado no filme. 

Leia também:

31 Comentários:

Sueli Sutter disse...

É verão,meu bem.O amor foi tirar férias do peito......adorei poeta.....boa noite..obrigada bjs

Stela Mariza disse...

É muita inspiração. Belo texto. Abraço!

Raquel Freitas disse...

Lendo ao som de Nando, que coisa perfeita!

Vanessa Souza disse...

Perfeito!Lendo seus textos não tem como não visualizarmos nossas vidas através de cada frase.

Cada dia mais eu sou sua fã! A cada texto eu falo: "Amo todos os textos dele, mas esse é meu preferido", até que você escreve outro...e a frase se desfaz!!rsrsrs... Parabéns, Iandê e um beijo!

P-o-r f-a-v-o-r.............. "Te esperar, se desfez." Sem mais!!! Obrigada Iandê, por nos embebedar com suas palavras e fazer mergulhar nesse mar de sentimentos!!!

MagnifícOO! Todo A RR E P I A DO Iandê rsrsr Uma verdadeira OBra Poetica. MONSTRO. rsrsr

Marciane Pinto disse...

Demais!! Sem palavras.

Engraçado, hj li os comentários anteriores e percebi que meus comentários são diferentes. Pq na verdade qdo leio viajo e é vida, é história, são estações... Não textos, crônicas... E continuo, sempre interajo. Amei, a primavera de recomeços e verão de regenerações... Novos sempre. Bj.

Vivyane Silva disse...

Muito bom ! Amo ler seus textos! Parabéns e obrigada (:

"... não existe desespero. Te esperar, se desfez." É exatamente isto que aconteceu.....
Iandê, os detalhes são riquíssimos, sempre exímios em seus textos, meus aplausos sempre, tá? Um dia vou querer, comprar o seu livro! Parabéns!

Aline Ortiz disse...

A cada texto eu fico mais encantada pelo seu trabalho! Meus Parabéns.

Maylla Monte disse...

ameeeeei o texto, me encanto com suas inspiracoes!

Simone Laporte disse...

Texto arrasante meu lindo! Parabéns!!!

Eu amo tudo que voce escreve...é maravilhoso...beijos

Lourdes Pinto disse...

Amei!!! Tão real esse tema nos dias atuais, onde a falta do amor impera, onde a paixão repentina confunde os corações se desfazendo tão rapidamente!!! Parabéns mais uma vez e cada vez mais SUCESSO Iandê.

Q lindo, Iandê! Tava com saudade de vc e dos seus textos.

Perfeitamente perfeito de lindo

Ana Martins disse...

É , Iandê Albuquerque, esse texto machucou... Cada dia mais expressivo

Ellen Camila disse...

A cada dia textos melhores *-* Arrasou mais uma vez, dificil dizer qual o melhor que ja li. Ja é um dos meus escritores preferidos

Nininha Souza disse...

lindoo como sempre, eu tenho perfume no meu nariz já tentei tirar e não consigo srsr nem distância rompeu o perfume nem pessoas estranhas com ses olhares tirar esse perfume!

Cleide Dias disse...

[..]É verão, meu bem. O amor foi tirar férias do peito.'' Aaarrasoou Iandê!

Sandra Souza disse...

lindo!!!... Como todos os seus outros textos...Parabéns!!..

Sem palavras... Simplesmente Perfeito, lindoo demaiis ! *--*

Perfeito, se superando a cada crônica *-*

Aii amigo tu fez...Mais uma aliança jogada fora! Sem palavras...Mim emocionei cm esse texto.Arrasou amigo,maravilhoso texto!

Paulo César disse...

"Que eu me acostume sem você por aqui e que principalmente, fique bem, me acompanhando nas tardes inteiras." Ótimo texto! Parabéns!

Evandro Brioso disse...

texto realmente muito rico de emoções... parabéns meu amigo virtual !

Zê Almeida disse...

Encantada, essa é a palavra. Relendo e me surprendendo com as emoções que cada palavra pode ter em diferentes situações em que nos encontramos.Adoro!!!!!

Aieeee você me fez escrever por causa do seu texto... Ia fazer um comentário mas foi tipo red bull... Me deu asassssssss =^.^=
Vc me conhece Iandê? Kkkk... Sacanagem minha! Mas é a sensação que tenho, pelo visto acho que todos né? Sempre é muito bom te ler... Abraçoooooooo

"Aprendo a te desbotar de mim." Muito bom, moço. ;)