Tô indo.

21:03:00 Iandê Albuquerque 25 Comments

Não sei se te ligar pra te dar bom dia vai ser o suficiente pra te acordar, se você vai me entender que ouvir tua voz de sono e um sorriso acanhado pode me fazer esquecer o trânsito e a agonia lá fora. Não sei se é melhor te deixar dormir enquanto me esquece a cada hora de sono. Não sei se te enviar uma mensagem sobre ontem vai te fazer rir e me colocar em teu cardápio de noites sem sono, ou se você vai me acrescentar ao teu dia como um sujeito que te roubou o ponteiro do relógio e te fez acreditar que rir por amor é melhor do que fingir um sorriso por interesse sexual. Não sei se vou agora ou se deixo pra depois. Não sei se te querer pra hoje vai adiantar alguma coisa. Mas também não sei se te querer depois tenha alguma vantagem. Não sei se deixo uma mensagem na secretaria eletrônica ou um recado com o porteiro do prédio, ou com um amigo em comum. Não sei se dormir agora querendo acordar amanhã será melhor, também não sei se será uma boa escolha acordar agora e tentar dormir amanhã.

Eu não vou conseguir dormir pra acordar. Eu não vou conseguir acordar porque na verdade, não consigo dormir.  Não sei se é inútil tentar te ter agora, não sei se tentar uma ultima jogada vai me fazer ganhar você. Não sei se, depois de amanhã, é você quem vai me receber, ou se será o teu eventual, atual, casual conhecido que dividiu a cama com você, mas com certeza te tomou o lençol. O conhecido que acordou primeiro que você mas não te deu um beijo de bom dia. Que te abraçou mas não levou uma parte de você com ele. Que te desejou, mas o desejo acabou duas horas atrás. Aquele que te beijou, mas o beijo não molhou a tua alma além dos lábios, não te fez respirar fundo ao borrar o batom, não te deixou sem controle, não te deixou com uma respiração ofegante e nem se quer, se deu o trabalho de te confundi, de te fazer se entregar de verdade e se esparramar por inteira no corredor da casa. Aquele que não te recortou, que não apostou na tua figura e nem notou que você poderia completar o álbum vazio. Nem se quer lembrou do álbum, da foto esqueceu. Aquele que apagou você dali pra frente. Que mordeu tuas costas, mas não provou a tua barriga com Nutella. Aquele que tomou um café da manhã com você, mas não reparou como você olhava por debaixo da sobrancelha, não leu os teus pensamentos por trás dos teus cabelos. Não sei se te acordo e grito nos teus ouvidos que estou indo embora e espero uma reação de convivência, de valor, de respeito. Não sei te acordo pra te dizer que impeça essa viagem sem volta, essa partida de uma terra que  na verdade não habitei, de uma ilha que não notei o verão passar, das curvas que saciavam o libido, aqueciam o meu sexo, mas faltava um peito pra abraçar esse meu amor imenso. Não se te acordo e te faço entender o quão sou importante pra você. Te mostro que aqueles quadros no criado-mudo da cama refletem muito do que você não parou pra lembrar. Q
ue aqueles retratos na gaveta não merecem poeira e esquecimento. Que aquelas fotos e registros de tantas poltronas, cinema, bagagens e viagens no teu Smartphone não só servem pra ocupar espaço, mas como uma meditação que melhore a nossa qualidade de vida, que momentos bons existiram mais vezes do que virar as costas pra mim. Não sei se te acordo ou se deixo a vida te acordar.

Não sei se dividir o fone de ouvido, a estante e os discos do Elvis Costello com você vai te aproximar de mim. Porque é tão inútil apertar o play e repetir tudo quando a gente sente que saiu da playlist do outro, que perdemos a graça na estante ou arranhamos, sei lá. Não tem como decorar o refrão da desgraça. Eu vou seguindo o meu nariz, amor.


Porque mesmo sendo difícil de admitir, eu admito: Não-te-quero-mais. E digo assim, com um certo aperto no coração. E proclamo a independência desse amor. E declaro em tua janela como poesia cortante. E canto na porta dos fundos pra ninguém ficar sabendo que você um dia abriu a porta pra eu entrar -e hoje- estou saindo de sapatos nas mãos pra não fazer barulho e uma mochila cheia de muito do que não suportei. Te conto como um história pra ouvir antes de dormir, e me retiro porque quero que você durma bem. Porque já não sei se te trazer flores terá alguma diferença em não trazê-las. Porque não sei se te deixar deitar em meu colo terá alguma diferença em te deixar dormindo sozinha. Porque não sei se disputar o controle remoto da TV com você, será melhor do que te deixar assistindo o que quiser, sem mim. Porque não sei se te deixar calçando meu chinelo para ir até a padaria pela manhã e vestindo minhas camisas pra desfilar pela casa, será melhor do que te ver fumando o tempo, o vento, ou um baseado na varanda, tentando me esquecer. Não sei se descer as escadas ou ir de elevador terá alguma diferença caso eu decida jogar tudo pela janela. Não sei se ficar pra tomar um café da manhã contigo será melhor do que tomar uma boa cerveja no boteco da esquina com os amigos e tentar te esquecer, e no outro dia, acabar não me desfazendo da ressaca de você por inteiro. Porque não sei se o beijo na nuca terá alguma diferença se não despertar arrepios. Porque não sei se sussurrar em teus ouvidos fará algum sentido se você não encolher o pescoço e rir de lado me pedindo pra parar, quando na verdade, os teus olhos pediam um ataque voraz. Porque não sei se te dar as mãos te trará segurança. E digo. E repito. E te conto em segredo. Te falo baixinho. Sussurro em teu ouvido o que já sabemos. Assino, carimbo e te afirmo tudo o que esse amor autenticou como certidão de óbito. E vou saindo moçx, bem de mansinho, pra ninguém perguntar o que levei de você, pra ninguém deduzir o que carrego em mim que é teu e não meu, pra ninguém resolver lembrar do que quero esquecer, pra ninguém te desvendar em mim e me descobrir em você, pra ninguém pensar que em cada dez lembranças minhas, - nove são suas. Pra ninguém ver a cor da tua pele em minha pele, marca de batom em meus dentes, vestígios dos teus lábios nos meus, teu suor em meus poros, tua sujeira em minhas unhas. Pra ninguém perceber que aqui, bem em baixo da minha roupa, no lado direito do peito, te carrego. Porque o esquerdo, agora me carrega.

Eu não quero você, porque te quis um dia. Porque um dia começou e eu nunca sonhei com o fim. Porque acreditei. Te desejei. Te coloquei em uma posição pra me confortar e me fazer bem, - te fiz bem!
Eu sei porque o que sobrou é tão pouco quanto forçar em pensar que ainda preciso de você. Agora é tão fácil. E inválido. É tão gratuito, quanto te tirar de mim. Eu sei porque virou prisão e te esqueço a cada manhã que acordo sozinho.E escrevo pra te devolver o que não consigo mais suportar. 
O verão se tornou mais meu amigo.

Leia também:

25 Comentários:

"Não tem como decorar o refrão da desgraça. Eu vou seguindo o meu nariz, amor.'' ...é bem isso!!! LINDO!!!




Lourdes Pinto disse...

"....Aquele que te beijou, mas o bj não molhou a tua alma além de teus lábios ...." perfeitoooo amei






Lindoooo demaiis ! Perfeitooo meus Parabéns adoreei *--*





Janaína Martins disse...

Como sempre! A perfeição dos textos "iandeanos" são previsíveis!





Ana Egypto disse...

Iandê meu menino, vc é lindo e se supera em cada palavra e texto escrito, o que dizer a vc??? posso fazer mil corações,será pouco.....




Mubina Katchii disse...

MooDeus .. Sem palavrass ..
Perfeiitoo ♡



Alexandre Marrom disse...

Palavras Sinceras e Objetivas..mais uma vez, Parabéns!




Perfeito, perfeito, perfeito
<3


Mais um texto perfeito e emocionante...Muito emocionante! Parabéns amigo,vc tem o dom das palavras! Xerãoo





Mais um texto perfeito e emocionante...Muito emocionante! Parabéns amigo,vc tem o dom das palavras! Xerãoo





Brunna Araújo disse...

Maravilhoso! Impossível escolher UM favorito :$ parabéns *------*





Simone Viégas disse...

Linduuuuuu, cada vez mais Iandê .




Cintia Gonzaga disse...

Nooossaaa, que texto é esse!?!? AMEI, SENSACIONAL!!!




Jackye Monteiro disse...

Moço, tu arregaça. Meus parabéns.




Eni disse...

isto é lindo !!!! amei !!! Parabens , guri !!! bjs



Vivyane Silva disse...

Mais uma viagem de dimensão cinematográfica *-* adorei



Simone Laporte disse...

Iandê Albuquerque....vc é um lindo! Perfeito como sempre.




Marcia Fuzetto disse...

A cada dia melhor Poeta maravilhoso dia pra VC Lindeza...bjss...com Deus sempre




Iandê cara, ao ler o seu texto eu estava escutando ao mesmo tempo a musica do Caetano: Eclipse oculto. Casou com o que você escreveu, com o que eu sinto e o que a musica fala rs. Moço, tu és um dos melhores escritores contemporâneos, eu só tenho que lhe desejar portas e janelas abertas pra você nessa caminhada e mt luz e sabedora, pra tu continuar escrevendo divinamente ! E não pare de me marcar, tô adorando isso rs, não tenho vindo mt aqui no face e ler seus textos é uma das poucas coisas boas daqui.




Cleide Dias disse...

Eu já não me surpreendo mais com vc! Somente agradeço, mais uma vez Adorei!! Vc é fera, seu texto como sempre ma-ra-vi-lho-so !! e seu talento é Divino. Que Deus te abençoe!




Amanda Pacheco disse...

Maravilhoso! Desperta cada sentimento...





Sensacionaaaaaaaal

Bia disse...

Nossa amei, como sempre amo seus textos parabens Iandê

Raquel CiBele disse...

Um presente pra fechar a noite. Seus textos alimentam a alma, são perfeitos. Parabéns!








SULIANA SULI disse...

Parabéns!!! Muito lindo.