Quer namorar comigo?

20:51:00 Iandê Albuquerque 12 Comments


 Quer namorar comigo? Namorar de verdade, tipo, ir ao cinema de mão dada, deitar no chão da sala, cozinhar pra você, te dar abraços demorados com pulos e pernas enganchadas na cintura. Acordar mais cedo e passar horas te observando até que você acorde, te pôr nas costas, te suspender pro alto até você ficar sem graça e pedir pra eu te largar, te pedir pra colocar comida pro cachorro quando eu esquecer, te ligar só pra te lembrar de ir ao dentista. Ir ao mercado com você, ler a lista de compras quando você não entender a própria letra, pegar a maionese na mais alta prateleira.
Te mandar bilhete quando acordar mais cedo e não fazer barulho só pra te ver dormindo por mais, sei lá, duas horas. Te mandar cartas quando você nem esperar, te enviar mensagens quando não conseguir falar pra você esses dizeres bobos e essas frases clichês que te deixa sem graça. Te mandar flores quando o motivo não é pra me desculpar. Te mandar beijo por foto, fotografar a aula de física quântica que não aguento mais, o filme que tô assistindo sem você, te chamar por mais algumas milhares de vezes pra não me deixar sozinho. Conversar com você sobre a compatibilidade de coisas que gostamos, sobre o que parece mais um destino, sobre a frase que encontrei num desses livros de romance que por incrível que possa parecer, lembra a gente. Falar sobre o nosso destino que parece ser tão frágil e vulnerável, caso você ameace desistir de mim ou eu não te suporte mais. Colocar a tua foto como protetor de tela do meu celular, quando só faz dois meses que nos conhecemos. Ser tudo de tão cafona que um namoro é. Cê quer?

Escrever nosso nome na areia da praia, molhar o teu cabelo quando você tiver o maior cuidado pra não molhar, te fazer sentir segura ao te dar as minhas mãos. Não ficar quando não mais quiser. Te inserir em minha paisagem, em minha rotina e em qualquer conversa sobre qualquer assunto em qualquer lugar com qualquer pessoa. Falar de você até que as pessoas não me aguentem mais. Quero ficar pra sempre com você, mas se por acaso algum dia eu tiver que partir, quero te deixar marcada com uma sensação boa, uma lembrança contente daquelas que só quem carrega um verdadeiro amor no bolso esquerdo da camisa sabe e sente. Tomar café da manhã no posto de gasolina porque dormimos demais e acordamos tarde pro trabalho. Cantar a tua música favorita no banho, desafinar as notas, sair do tom, arranhar as cordas vocais só pra te irritar. Quero me envolver de lençóis azuis, enrolar o teu cabelo em meus dedos. Quero ser útil pra tirar o cílio solto no canto do teu olho, pra limpar a tua boca de ketchup antes que você me peça o guardanapo, pra dizer o quanto você é linda, pra deixar você usar as minhas bermudas e os meus casacos quando resolver dormir comigo de última hora e não tiver roupa de dormir na bolsa, pra reservar um espaço no armário pra você deixar uma bermuda e uma camisa básica caso a gente decida sair qualquer hora. Quero borrar o teu batom, te ouvir perguntar se o vestido novo ficou bom, quando tudo parece ficar tão lindo em você. Te dizer que você é linda até com a calcinha dentro do bumbum, de chinelo, cabelo embaralhado e marca do travesseiro no rosto. Quero me cobrir com tua pele, deitar na grama, provar o clichê que, no fundo, todo mundo adora. Apagar as luzes e me esconder atrás da porta quando ouvir você subir as escadas. Ligar pro teu trabalho só pra dizer que te amo. Escolher o nome dos nossos filhos, planejar as nossas viagens de fim de ano, jogar videogame com o teu irmão. Por mim, a gente pode ficar aqui, dividindo sorvetes, edredons e planos. 

Prometo não te ligar de manhã cedo. Não te impedir de usar o fone de ouvido na viagem, não ficar mandando você parar de usar o celular dentro do ônibus. Prometo não duvidar do teu amor em momentos difíceis, quando as minhas piadas perderem o sentido ou quando teu riso for demais pros meus ouvidos. Cantar com você no karaokê, pisar no teu pé e te pedir desculpas porque não sei dançar direito e tenho o maior medo de te perder por isso. Saio mais cedo do curso, dispenso a aula de inglês pra chegar em casa primeiro e arrumar a mesa, a cama e a minha vida que, ultimamente anda sempre bagunçada pra você. Fazer massagem em você e, de vez em quando, morder a tua orelha - que eu sei que você gosta. Prometo não ficar irritado quando pedir pizza com dois sabores e você não puder vir. Prometo não brigar quando você bater a porta do carro com força, quando pisar na pata do Tob, quando não me der bom dia direito, quando beber toda água da garrafa e não encher, quando arrancar todo o cobertor de mim. Prometo te abraçar quando você chorar mais uma vez pela morte do Marley. Não questionar sobre a tua prateleira, sobre o que você guarda na última gaveta, nem ler suas coisas antigas naquela caixa vermelha. 


Por você eu viro Cazuza, canto Frejat, declaro versos do Chico Buarque na janela do teu quarto. Por você, eu toco Lulu sem violão, só com estalos dos dedos. Assobio Nando Reis de janeiro a janeiro antes de dormir, sussurro Lenine debaixo do cobertor. Prometo te tacar almofadas quando você fingir que não me ouve. Faço esses lanches de poucos ingredientes e bastante sorrisos pra a gente aproveitar juntinhos um filme qualquer numa tarde chuvosa de sábado a noite. Prometo não fazer desses aplicativos de mensagens instantâneas nosso principal canal de DR's. Se for pra te passar na cara alguma coisa que seja frente a frente com a possibilidade de segurar na tua mão, olhar em teus olhos e te dizer o quanto eu te quero. Se for pra te dizer que você fez falta na semana passada e te explicar que fiquei chateado por você ter dormido sem ter me dado
notícias suas, que seja frente a frente. Prometo não enlouquecer quando o teu celular estiver fora de área ou desligado. Por fim, prometo não cometer os mesmos erros com você, ser o melhor que você merece e te fazer se sentir a mulher mais amada do mundo.

Leia também: