Adiar pra quê?

14:26:00 Iandê Albuquerque 7 Comments

Adiar pra quê se hoje eu posso dormir ao teu lado, se eu posso ficar mais algumas horas com você assistindo um filme qualquer em frente a TV. Adiar pra quê se eu posso te ver agora, acompanhar teu sono sem demora, chegar em você sem hora. Pra quê te avisar se eu posso chegar sem te chamar, se eu posso entrar sem te acordar e te ver dormindo sem te assustar. Pra quê brigar, se eu posso te abrigar em mim, se a gente pode se resolver assim, se podemos nos encontrar agora, nesse instante, mesmo que tão distante seja o teu bairro do meu. Adiar pra quê se eu posso ir ao teu encontro sem reclamar, se eu posso cortejar o teu sorriso ao meu, se eu posso envolver meus braços aos teus e te oferecer dias melhores. Adiar pra quê, se eu posso te falar de mim sem segredos, se eu posso te contar os meus erros sem medo, se eu posso ter a certeza agora de que é você, só você.


Pra quê bater em tua porta, se em tua vida tudo que quero é ficar. Pra quê fazer birra, ter orgulho, se esse nosso amor é sorte e não azar. Pra quê me ausentar dos teus dias, se eu posso grudar em você e fazer os teus domingos bem melhores. Pra quê perder um dia ao teu lado por ciúmes ou por bobagens, se basta alguns instantes pro meu sorriso ser tão feliz contigo.  Pra quê se chatear quando você precisar sair com suas amigas se tudo que eu tenho é que confiar e não te prender, porque o amor é livre e você sempre foi também. Pra quê rejeitar a tua ligação se eu posso te atender e ouvir você pedir desculpas, se eu posso te pedir desculpas também, se a gente pode marcar uma praia, um cinema, um sorvete, sei lá. Pra quê complicar as coisas se a gente pode descomplicar. Pra quê fingir que acabou, se a gente pode se acalmar, se a gente pode sentar pra conversar, se existe um abraço pra confortar a relação. Pra quê dizer não, se existe sim, se eu posso ficar aqui e você  pode dizer todos os motivos que ainda não desistiu de mim e eu digo todos os sorrisos seus que me fizeram ficar. Pra quê dizer que não te quero, se nada disso é verdade, se o teu sorriso se estende ao me ver, se o meu peito acelera ao te tocar, se esse coração que aqui bate, é leal com você. 


Pra quê te provocar, dizer que a Deborah Secco é gostosa, se de todas as mulheres do mundo é por você que me apaixonei, se eu sei mais sobre você do que sobre mim mesmo, se é com você que eu quero ficar. Pra quê te virar as costas quando você diz que não mais me quer se eu posso olhar em teus olhos e perceber que cê mente mal pra caramba. Pra quê levar a sério quando você me chama de idiota, se esse idiota aqui é quem frequenta a tua felicidade. Pra quê lamentar pelas coisas que tentei e não consegui fazer pra você, pelas maneiras que você tentou me impressionar e não impressionou, se a gente pode se envolver assim, sem promessas, só sendo o que a gente sabe ser.  Pra quê tentar mudar se o nosso destino é pacato demais e a nossa certeza é tão incerta? Adiar pra quê, se eu posso ser pra você agora. Se a vida corre, não demora. Pra quê marcar um dia especifico pra sair, se a vontade que dá é incontrolável e a saudade chega a toda hora? Pra quê te machucar se eu posso te proteger? Pra quê te fazer chorar se o que eu quero é agradar? Pra quê errar se eu posso acertar? Adiar pra quê, amor? Se eu posso ser o teu futuro bom, se num passado posso te lembrar das coisas boas que fui, se nesse momento tudo que eu quero - e tenho - pra te dar é um amor que te faça bem pra vida toda. Um amor com sabor de fruta mordida como o Cazuza falou, entende?

*Créditos da foto: Flora Pimentel

Leia também: