Ai que saudade d'ocê.

13:07:00 Iandê Albuquerque 11 Comments

Acontece que eu não me importei com o meu cabelo despenteado e nem pensei duas vezes ao sair de casa de madrugada quando você me ligou e disse que precisava de mim. Eu não fiz cara feia ao te esperar tantas vezes e sequer pensei em desistir de você mesmo achando que você não mais viria em algum momento. Quando o teu celular descarregou, eu insisti em te ligar por medo de me perder de você e porque tinha certeza de que você estava desesperada também, ou ao menos, era isso que eu pensava. Eu pensava que te causava a mesma loucura que a saudade de você provocava em mim. Quando te pedi desculpas pelo que fiz, foi de coração, e fui bem sincero quando prometi não mais errar com você.  Eu não fui embora nem quando você achou que eu deveria e nesse exato momento, procuro algo pra te convencer de que agora já fui, quando na verdade só espero que você volte, morena. 

A verdade é que eu sinto falta da sua boca e de todos os lugares que ela percorria em mim. Sinto falta de tocar em suas mãos, de te pedir calma, de segurar você e te soltar só quando tivesse a certeza de que amanhã te encontraria. Sinto falta de fechar os olhos pra te beijar - e me perdoe por fecha-los - mas sentir a tua alma através de um só beijo é surreal. Se bem que você é linda e os meus olhos já sabem muito bem disso. Sinto falta de sentir a tua calma, de acolher a tua alma, de me envolver em teus braços e acordar com a sensação de que uma das pessoas mais incríveis do meu mundo é o meu lar. Sinto falta de tocar o teu pescoço com a ponta do meu nariz, de morder a tua orelha e tirar a mecha de cabelo que caiu em seu rosto e escondeu o teu olho esquerdo e um pedaço do teu sorriso pra mim. Tô com saudade de conversar com você sobre nós e sobre os outros. Sobre sua amiga chata ou sobre o meu amigo mala. Sinto falta de rir com você antes de dormir, de sorrir ao acordar pra te ver e de procurar o telefone pra te dizer que tô com saudade d'ocê. 

Sinto falta das fotos que não tiramos, dos muitos planos que, sem você, não fazem mais sentido. Sinto falta do teu afeto, da coragem que você me trouxe e a segurança que eu sentia ao te dar as minhas mãos. Sinto falta dos lugares que fomos e prometemos mais vezes voltar. Sinto falta dos lugares que planejamos ir e nunca fomos. Sinto falta de todos os lugares que deveríamos visitar, dos lugares que esperaram por nós, inclusive, sinto falta do dia em que visitei o teu peito e decidir não mais sair e do dia em que você chegou e rezei pra que você nunca mais fosse embora. Sinto falta dos filhos que demos os nomes mas não a vida, do casamento que queríamos mas não existiu (ainda). Sinto falta do tanto de festas que fui e faltou você. 


Não aguento mais ficar longe de você e por favor, não foge agora, não vira as costas, não entorta o rosto pra mim. Volta, que eu já não suporto mais perseguir seus passos pelas redes sociais tentando procurar o que nunca desejaria encontrar: você com outra pessoa. Já não aguento mais ver esse sorriso frouxo na tela do meu celular e sentir o desespero de que ele possa sorrir pra outro alguém. Tô com saudade d'ocê. 

Leia também: