Se eu fosse você...

19:49:00 Iandê Albuquerque 3 Comments


Eu queria poder te dizer que se eu fosse você e tivesse machucado pela milésima vez alguém que sempre te perdoou, alguém que sempre se esforçou por vocês, que sempre quis que tudo isso desse certo, eu desceria de paraquedas gritando o nome dela, escreveria um pedido de desculpas com tinta branca no asfalto em frente a casa dela, eu acordaria os vizinhos pra dizer o quanto a amava, eu aprenderia a tocar violão ou tocaria flauta mesmo sem saber aquela música que ela adorava, eu tentaria surpreendê-la pra que ela, de alguma forma, percebesse que eu sempre notei o bem que ela me faz. Se eu fosse você e por alguma motivo, tivesse bagunçado a vida de alguém que sempre te deu colo, calma e cama, eu voltaria. Não iria deixar tudo confuso como se a pessoa não tivesse sido nada pra mim, não faria ela desconfiar do amor por minha culpa, mesmo que eu não tivesse mais nada a dizer sobre nós dois. Se eu fosse você, eu me esforçaria, pediria desculpas porque quem ama, sempre sabe que ninguém é perfeito, e o mínimo a ser feito é relevar. Se eu fosse você, eu tentaria não machucar, não sei te explicar direito, mas quem ama sempre sente a dor do outro.

Se eu fosse você eu entenderia que o amor é sensato e livre o suficiente pra acolher o outro e não o prender. Se eu fosse você e tivesse feito alguém chorar porque acabei falando alguma besteira, eu iria me redimir, e isso não me faria pensar que estava sendo idiota. Se eu fosse você, eu deixaria o orgulho de lado e entenderia que idiota eu seria, se calasse pra não me desculpar. Se eu fosse você e tivesse decepcionado alguém que saia todas as noites pra te ver, que sempre te ligava pra te ver e te apressar, que trazia beijos pro jantar, e apoiasse em você o rosto como se te doasse um mundo inteiro, eu voltaria com os braços cheios de filmes, seriados, chocolates e amor suficiente pra passar um domingo inteiro ao lado dela. 

Se eu fosse você e tivesse desapontado alguém que, no escuro do meu quarto, deitasse o ouvido sobre meu peito pra sentir que a minha respiração e todo aquele batimento inexplicavelmente a fazia tão bem, alguém que levaria chuva pra me proteger do frio, que me protegeria das pessoas e de qualquer preconceito, me fazendo, mesmo cheio de defeitos, sentir que ser importante pra alguém deixa o dia da gente bem melhor, eu faria uma música e cantaria olhando nos olhos dela, mesmo que a letra tivesse rimas bobas e frases soltas, e diria -sem precisar dizer- o que ela sempre esperou de mim, cuidado, carinho e sutileza. Eu não deixaria o tempo passar, não deixaria pra depois, não pensaria que ela iria esquecer um dia, porque quando a gente machuca alguém e não fazemos absolutamente nada pra diminuir a dor e corrigir o arranhão, tudo volta a doer depois. 

Se eu fosse você e tivesse perdido a paciência e dito o que não deveria dizer a alguém que aceitou dançar forró contigo mesmo sem saber, que cuidou de você enquanto cê estava doente e te pressionou pra tomar os remédios  nos horários corretos, alguém que sempre te quis presente, que mesmo ausente, te fazia sentir a paz de um amor tranquilo, alguém que te fazia se sentir completo ao voltar pra casa mesmo com tanta coisa te faltando, eu voltaria, com uma carta no bolso e um beijo na ponta dos lábios, eu faria ela entender que a minha intenção nunca foi machucá-la e que eu estaria sendo um idiota se não me arrependesse porque o motivo pra que eu estivesse ali, era ela. 

Se eu fosse você, e nesse exato momento ou a poucos minutos, tivesse tratado com desdém alguém que se importa realmente com você, que com certeza vai te ligar amanhã e falar com você como se não existisse uma pontinha de desconforto do dia anterior, eu voltaria agora, entenderia agora pra que cada minuto que passa não se torne um eternidade. Se eu fosse você, eu não seria tolo e não perderia tão fácil alguém que faz, com um sorriso, tua vida se alongar. 

Leia também: