Tô te expulsando de mim.

21:26:00 Rogério Oliveira 1 Comments


Percebi que você não fazia mais parte de mim quando, por um descuido, na roda de amigos, falaram seu nome e meu coração não quis sair pela boca, minhas bochechas não arderam e eu não tive vontade de abrir um buraco no chão para não ter que mais uma vez fingir que estava tudo bem.

Eu superei. E não digo isso da boca pra fora. Eu superei o fato de te ver passar e não sentir saudades de ter em meus braços. Percebi que você foi uma das minhas melhores escolhas, mas a gente precisou se permitir a novas coisas na vida, e eu estou melhor agora.

Não é vaidade nenhuma dizer que sobrevivi as porradas que recebi depois que disse que precisava de um tempo. Meu coração descompassado acelerava toda vez que te via online e não me chamava para conversar. Eu ainda tinha esperança que a gente se acertasse e tudo voltasse a ser como era antes.

Só eu sei o quanto te xinguei, quis que você morresse, que você se arrependesse de tudo que me disse, e até desejei que ninguém olhasse pra você com os mesmos olhos que eu. Idiota, eu sei. Eu amadurei um bocado com o nosso término. Por um lado me fez bem passar por tudo isso pra entender que existe outras pessoas interessantes nesse mundo e que ninguém morreu de amores até então, eu não estava sendo castigado por Deus, era só uma fase ruim que a qualquer momento eu teria que enfrentar.

Já chorei muito, já me questionei o porquê de não ter dado certo. Vasculhei suas redes sociais e até vi o seu status mudar. Vi você dizer o que costumava dizer pra mim, e a nossa legenda de foto preferida deixou de ser nossa para integrar o seu novo álbum de relacionamento sério, e esse alguém que está ao seu lado agora não sou eu. Percebi o seu sorriso mais largo, os seus olhos mais cheios de brilho, as festas tem sido outras e o ciclo de amizades mudou.

O tempo passou e eu me contive, eu tive que aprender a lidar com todas as situações, eu tive que me desfazer de tudo que me lembrava você, eu mudei, eu lutei, eu aprendi a me valorizar e estampei logo um sorriso no rosto. Uma boa dose de amor próprio, e tanto de desapego. Recomecei do zero, é hora de me encontrar, de me reinventar, de se apaixonar por mim mesmo.

Ao perder alguém que a gente acha que não vai mais conseguir viver sem, faz com que a gente dê um novo sentido pra vida, e é a partir disso que a gente percebe que o medo logo vai embora quando a gente se permite, faz parte do processo de autoconfiança. Não é instantâneo querer amar o mundo e se apaixonar por todos que chegam com um papo bom e desperta a vontade de descobrir o que aquela pessoa guarda por trás de tudo que diz.

Tudo Depende do quanto eu quero pensar e me doer, sabe? Eu não quero parecer ingrato, tivemos momentos incríveis, mas agora me dei conta que há tempos não fazia algo por mim e tem sido bom flertar com as minhas vontades e dar sentido ao que deixei adormecer.

Você me conhece bem, se não fosse pra ser intenso eu nem me movia, se não fosse pra amar de verdade eu nem investia, se não fosse pra ser por inteiro eu nem tentaria te transbordar. Comigo é 8 ou 80. Amor sozinho não vinga. Não dá. Não é o meu forte. Eu deixei muitas coisas pra lá, deixei você, e neste momento eu só preciso mais de mim. 



Leia também:

1 Comentários:

Ester Almeiida disse...

Sábias palavras, como você mesmo disse.. "eu preciso mais de mim."