A gente tenta disfarçar que não dói.

21:15:00 Iandê Albuquerque 3 Comments

Tentamos disfarçar que não dói, tentamos disfarçar a saudade e dizer pra nós mesmos que devemos seguir, mas sair da vida de alguém quando queríamos ficar, não é fácil. Dói e dói um bocado.

A gente muda o caminho pra não lembrar. A gente procura alguma coisa pra se ocupar porque qualquer espaço de tempo que sobra a gente acaba encaixando uma lembrança. E se a janela do ônibus pudesse falar, ela contaria toda a saudade e toda bagunça que a gente joga por ela enquanto não chegamos no nosso destino.

A pessoa estuda na mesma faculdade, está no mesmo ciclo de amizade, faz o mesmo curso e frequenta os mesmos lugares nos finais de semana. Impossível não esbarrar. O medo é ir a esses lugares e perceber que o amor ainda existe. A gente tenta disfarçar a dor, usar a saudade como curativo e esconder todas as brechas só pra não demonstrar que o peito ainda está entreaberto.

A gente tenta disfarçar que não dói ver aquela pessoa indo embora, mas será que tem como fingir que não dói tudo aquilo que a pessoa nos deixa? Tudo aquilo que fica com a gente sem que, sequer, tivéssemos pedido? As músicas que o outro nos apresentou, a maneira de olhar o mundo e as coisas, os tiques nervosos, o timbre da voz e o volume da risada.

A gente tenta disfarçar evitando procurar não saber noticias do outro. Talvez seja melhor parar de seguir no instagram, bloquear o Whatsapp, excluir do Facebook. A gente diz: ''Tá tudo bem, sério.'' mas por dentro, está um caos, ruas devastadas, placas apontando pros caminhos errados e mais um novo acidente emocional toda vez que em que se ouve o nome dele. A gente corre de esquina a esquina procurando refúgio, a garoa do disfarce do lado de fora não é nada perto da tempestade que a gente enfrenta por dentro.



Às vezes as pessoas saem da nossa vida na mesma maneira em que entram. Às vezes saem mais rápido do que queremos ou esperamos. Quando menos se espera, elas estão em outros lugares, com outras pessoas, fazendo outros planos. Às vezes as pessoas entram na nossa vida, nos proporcionam sensações incríveis e momentos tão intensos que quando vão embora, parece que tudo só durou um cochilo. Algumas pessoas chegam e só vão, não te dão motivos e te deixam sem resposta pra absolutamente tudo. Talvez as pessoas entram na nossa vida com um único propósito: nos ensinar algo ou aprender alguma coisa com a gente.

Talvez você não precise envolver ninguém na tua bagunça agora. Talvez você precise organizar essa bagunça que ficou e não mais empurrar pra debaixo do tapete ou jogar em baixo da cama e disfarçar que tá tudo bem. Não se sinta culpado por não ter dado certo ou porque o outro está aparentemente feliz agora. Talvez você tenha sido alguém escolhido pra preencher aquele espaço e tempo porque precisava aprender algumas coisas ou talvez, porque precisasse ensinar. 

Leia também:

3 Comentários:

kellen disse...

Dói e continuará a doer

Layla Barbosa disse...

Você conseguiu decifrar meu coração com estas palavras!Ler e refletir um tanto nesta percepção, acalenta um pouco da dor. Seus escritos chegam na minha vida na hora certa!Gratidão por tanta sensibilidade e amor que habitam em você. Abraços

Gui Fab disse...

Lindo texto, carregado de sentimento e sensibilidade, parabéns