Fui embora, mas não foi por falta de amor.

13:37:00 Iandê Albuquerque 0 Comments

Eu não tive outra escolha, e você sabe bem disso não é? Eu não podia mais ficar esperando que em algum momento você me dissesse o quanto queria que eu ficasse. Eu não podia mais ficar perdendo o meu tempo tentando decifrar todos os seus segredos, tentando ler os seus códigos e todas as coisas que você deixou subentendidas na maneira que você escrevia e falava. Eu queria que as coisas fossem mais claras, sabe? 

Queria que você fosse direto ao ponto como eu sempre fui contigo, que você se abrisse pra mim como abri a minha vida pra você e não tive medo nem quando percebi que você poderia ir embora a qualquer momento. Queria que você dissesse o que estava sentindo e não ficasse o tempo todo tentando esconder os seus sentimentos por medo do que eu pudesse fazer com eles. Queria que você olhasse em meus olhos, e antes que o nosso amor acabasse, dissesse o quanto ainda estava apaixonado por mim, o quanto queria ficar comigo. Talvez alguma coisa mudasse. Mas você não disse e eu cansei de tentar descobrir tudo isso. Às vezes a gente perde oportunidades incríveis por medo de sentir, fazer ou simplesmente falar o que sente. Acho que esse foi o motivo da gente ter se perdido. 

Você sempre esperava que eu agisse primeiro. Você dizia que estava com saudades, mas não mexia um dedo sequer pra gente se ver. Eu permiti que você entrasse na minha vida, conhecesse os meus defeitos e os meus sonhos, e o que você fez? Entrou, vasculhou tudo, trocou tudo de lugar, bagunçou pra caralho aqui dentro e quando resolveu acabar, se afastou sem nem dizer: ''foi bom te conhecer, mas eu tô indo agora''. E aquele gosto amargo de uma despedida que nem aconteceu ficou na garganta. Aquela mágoa por eu ter me entregue pra você e você sequer ter agradecido por ter sido bom. Aquela dor que deixa o peito da gente meio frio, sabe? Por tudo não ter tido um fim de fato, porque cara, eu achava que você seria mais maduro, achava que nós tínhamos liberdade o suficiente pra uma despedida decente.

Você quer estar com alguém, mas tem aquela leve sensação de que a qualquer momento a pessoa vai cair fora. Você fica com alguém, começa a se apaixonar, pensa em sair fora várias vezes, mas a pessoa faz com que você fique cada vez mais. E então você fica por pensar que o outro vai cuidar bem de você, que o outro vai te entender e respeitar os seus conflitos sobre estar se apaixonando mas não querer se apaixonar, mas no final das contas, a outra pessoa é a primeira a sair e te deixar sozinho. Você quer permanecer ali porque de alguma maneira aquilo te faz se sentir vivo, faz com que aquela chama que por tanto tempo esteve apagada continue acesa no teu peito, e você acredita que vai ser bom, porque a paixão não pode ser ruim, não é? Engano seu, quando a gente se apaixona por alguém e esse alguém se afasta de nós de repente, quando esse alguém não responde mais as nossas mensagens e some da vida da gente sem sequer dizer que a nossa estadia fez alguma diferença, tudo dói, tudo parece tão inútil. Fica aquela sensação de tempo perdido, sabe? 



Não sou aquele tipo de gente que simplesmente some da vida do outro sem sequer dizer o quanto o outro foi importante pra mim. Mesmo que eu não concorde com o fim, mesmo que acabar algo me cause um certo desconforto, mesmo que eu seja a pessoa que ponhe um ponto final em uma relação, eu preciso dizer o quando aquela pessoa me fez bem. E foi por isso que eu abri a sua janela e escrevi aquela mensagem, foi pra te dizer que apesar de tudo você foi importante pra mim, que depois de tanto tempo desacreditando no amor eu comecei a sentir um resquício dele vivo dentro de mim quando te conheci e por mais que você não tenha ficado, eu precisava te dizer ao menos um: ''melhor a gente acabar, mas obrigado por tudo''.

E amor é isso, é também aceitar quando não dá mais, e a gente não deu. 

Leia também:

0 Comentários: