Como funciona o coração de alguém com ansiedade.

21:14:00 Iandê Albuquerque 7 Comments



É uma merda ser ansioso, a gente tem pressa pra sentir, e quando começa a sentir, acha que é perigoso demais e que por isso, a gente precisa partir mesmo que não seja essa a nossa vontade exatamente. 


A gente acha que precisa se falar o tempo todo, ter sempre um novo assunto pra conversar e se não respondem nossas mensagens por algumas horas já é motivo pra pensar bobagens demais. A gente acorda com saudade de viver o que nem viveu ainda, e talvez nem aconteça, porque a gente não pode controlar o futuro. Inclusive, a gente sabe bem disso mas ainda assim sofre por um amanhã que nem está perto de chegar, espera por uma notificação como se fosse uma necessidade pra confortar aquela sensação de insegurança dentro da gente.



A gente começa a pensar que não vai dar certo, por mais que a vontade seja enorme de dar. É que tanta coisa já aconteceu e tantas pessoas já passaram pela gente, que a história parece ser a mesma, só mudam os envolvidos. A gente começa a pensar que o outro vai embora e então a gente pensa em ir embora antes que o outro vá.



Ser ansioso te traz uma insegurança que aperta o teu peito, que por vezes te sufoca, e te faz pensar em fugir. Você tem pressa por tão pouca coisa, os seus pensamentos te atropelam, com frequência, você tropeça nos próprios passos. Ser ansioso te faz pensar em coisas que podem dar errado mesmo quando tudo parece dar tão certo. 


No fundo a gente sabe que se a insegurança passa, que criar teorias por coisas tão simples não pode ser verdade, e que os nossos receios não são do tamanho que parecem ser. No fundo é só um medo bobo que vai embora amanhã, e se não for embora amanhã, vai depois. 

E o problema não é ter medo, insegurança ou todas essas coisas de adulto. O problema é a gente achar que tudo isso é grande demais e que não vai embora nunca mais.

Mas vai sim, relaxa.

Leia também:

7 Comentários:

Barbara Amanda disse...

Hoje esse texto me salvou, hoje esse texto me fez ver que é só a maldita ansiedade falando, e tomando conta de mim, por ela toma conta, ela me faz passar mal, faz eu me sentir a pior pessoa que existe, e me faz descontar e desconfiar das pessoas que eu amo. Ansiedade é como uma morte lenta, mais ela agente vê chegar, vê que ela ta vindo devagarinho, e no mesmo momento que que notamos a presença dela travamos, não respiramos, meu coracao4 palpita, eu tenho enjoo, e até desmaios, por conta dessa tal de ansiedade. Viver com isso não é fácil, mais não é impossível.

Me relaciono com uma pessoa ansiosa, e não posso deixar de pontuar como o texto os descreve bem.
Gostaria de deixar meu comentário como o outro lado da moeda, como a pessoa que se envolve com o ansioso:
Um ponto importante que ele não cita mas acho bem válido, é quanto o ansioso magoa essas pessoas que estão envolvidas em tantos nós de si mesmos, a espera e a ânsia que depositam no outro passam a ser expectativas depositadas de ideais que nem são seus, que não serão supridas, e logo os decepcionarão pois vivem presos nesse ciclo, mas a culpa não é nossa, e nem de vocês também. Só que passamos a ser os vilões. É a mesma coisa com o lance de achar que não vai dar certo, em meu relacionamento já aconteceu isso uma grande parte do tempo, e isso me colocou e coloca a pensar várias vezes se sou a pessoa que realmente a pessoa com quem me relaciono quer estar. A sensação de insegurança não será suprida por pessoas ou coisas, e então as coisas começam a dar errado mesmo dando certo, sinto isso em pontuações dela, como se eu pudesse fazer milagre, e a gente começa a assinar diversos contratos pois amamos essa tal pessoa ansiosa, mas nos deixamos levar por esses devaneios delas e isso magoa, chateia, pois temos a impressão de que nunca nada que façamos estará bom o suficiente. É complicado.

Nêssa Sousa disse...

Só queria dizer que senti como se alguém tivesse escrito sobre mim, sobre a irmã mais velha do meu pior defeito:impulsividade!
Eu somo elas duas:ansiedade e impulsividade e faço da minha minha vida uma merda tão grande as vezes. Me subestimo, me humilho, me arrependo, me frustro, dou um tempo e faço toda merda de novo.

Nary disse...

Li o seu texto e me vi em todas as situações.
O pior é ouvir das pessoas: "fique tranquila", como se fosse um botão que a gente clica e puft, acaba a ansiedade =/

Anônimo disse...

Te entendo Gabriela Batista, passa pelo mesmo... É muito complicado....

Anônimo disse...

é horrível quando você começa a se sufocar com pensamentos e ânsias, teorias de desconfiança, insuficiência, fracasso... você sabe que é desnecessário alimentar determinados pensamentos, que não é saudável, e quanto mais você tentar nao pensar, mais profundas e detalhadas ficam as suposições, você não ocnsegue deixar de pensar e então aquilo lhe consome, lhe desespera, lhe asfixia. Muitas vezes no meio de tanta insegurança a gente só quer alguém que chegue e nos escute falar, porque as vezes é um esforço enorme que a gente faz só pra desabafar alguma coisa, porque as palavras apenas não saem da nossa boca. Quando a insegurança ataca, a gente quer ser socorrido, a gente quer colo, a gente quer um abraço sincero, quer que alguém chegue e diga que não precisa pensar assim, que está tudo bem, que se não estiver vai ficar, e que se não ficar, vai ter alguem ali com a gente. A gente precisa de reforço, de atitudes e também de palavras, não que a responsabilidade de nós mesmos seja do outro, mas as vezes a gente se sente tão incapaz, que você tem que dizer, de várias formas e várias vezes, que está ali. Acho que tudo o que eu quero é me sentir amada, me sentir segura, sentir que tenho um porto que vai me ancorar quando a maré subir. E enquanto eu digo pra mim que vou conseguir, uma outra voz diz que não vale nem a pena tentar. E enquanto eu tento continuar, uma outra voz diz que seria melhor morrer, assim eu deixaria de ser um peso cobrando atenção e afeto na vida das pessoas.

Unknown disse...

Amiga Gabriela Batista, você foi bem no seu comentário até certo ponto, peço que entenda que não vim criticar o seu modo de pensar.. Eu me relaciono como uma pessoa também, isso não necessariamente quer dizer que o relacionamento é conjugal, poderia ser qualquer tipo de relacionamento, mas enfim ,a parte a qual já não concordo com você é que " nos deixamos levar por devaneios, e que não da pra fazer milagre" olha se você realmente ama esse alguém deveria saber que este alguém precisa de Tratamento Psicológico, e não de milagres. Aaah esqueci de dizer EU SOFRO DE ANSIEDADE, mas minha mulher abraçou minha causa e está me ajudando, procure ajuda profissional. Abraços.