Às vezes a insistência acaba com o amor

19:26:00 Iandê Albuquerque 1 Comments


Uma vez perguntei pra minha mãe se ela ainda amava o meu pai. Ela me disse que o amou muito um dia, mas pela insistência, o amor virou nada. Acho que ela quis dizer, quando o amor deixa de ser amor, ele apenas deixa de ser, não é mais, não acolhe, não cuida, não faz bem. Ele vira alguma coisa perdida que não faz mais sentido sentir. Consegue perceber o quão difícil é dizer que o amor por alguém que, um dia, foi o amor da sua vida, acabou? Foi foda ouvir isso dela e acredito que foi mais foda ainda pra ela chegar ao ponto de não sentir absolutamente nada mais pelo meu pai. A gente nunca está preparado pra lidar com o fim. A gente não sabe lidar muito bem quando algo perde o sentido real. Então a gente insiste até o último milimetro de amor esgotar dentro da gente, até que já não suportamos mais olhar pra quem, em algum momento, nos fez sentir o amor. A gente só quer ir o mais longe possível, achando que o amor se mede pelo tamanho do caminho que percorremos, quando na verdade, o amor é sobre cuidar ainda que ele esteja ao teu lado, e não sobre se importar somente quando ele não está mais ali. Já passei por uma relação da qual amei profundamente alguém e cometi o mesmo erro da minha mãe, insisti por achar que o amor significava permanecer, quando na verdade, faz mais sentido estar ao lado daquela pessoa ainda que vocês não estejam mais juntos. Porque o amor não é egoísta a ponto de você querer aquela pessoa pra si, sem se importar se você faz bem pra ela ou se ela faz bem pra você na completude que só o amor proporciona. Eu sei o quanto é difícil você ver alguém que ama tendo a possibilidade de amar outras pessoas que não seja mais você. E por não saber lidar com isso, você prefere escolher manter o outro ali, porque não entra na sua cabeça a ideia de amar o outro quando não se está mais ao seu lado. Quero te dizer que você vai entender o que é o amor quando precisar deixar alguém que ama pra trás, porque haverá a necessidade de partir e não há nada o que fazer, porque às vezes isso é a unica coisa que resta. É extraordinário amar alguém ainda que aquela pessoa esteja em outros caminhos, em outro lugar, talvez até com outra pessoa. é um amor totalmente livre de egoísmo e desejos possessivos, é um amor libertário, você reconhece que o outro foi alguém capaz te amar e ainda que não esteja mais contigo, as lembranças boas ficam. Não é um amor traumatizante, é um amor feliz, desses que mesmo que a partida tenha sido dolorida, o sorriso continua no rosto pelos momentos que proporcionou. Se você tiver a oportunidade de amar alguém, ame intensamente. Mas se perceber que não existe motivos pra ficar, não existe respeito, nem vontade, nem desejo, permita partir e deixar que o outro parta também. A insistência maltrata o afeto, o egoísmo apodrece o amor.

Leia também:

1 Comentários:

Anônimo disse...

Lindo texto Iande!! Adoro ler tudo que você escreve! Mesmo que eu nao esteja passando pela situaçao descrita, seus textos sempre me prendem... Um beijo de sua fã, Andrea Simão